"A vida apresenta-me uma nova missão: representar os nossos Tocantins [estado no centro do país]. É o estado em que escolhi viver e investir. Terra de oportunidades e de pessoas trabalhadoras", declarou o treinador, de 70 anos, num vídeo divulgado nas redes sociais.

Depois de deixar o trabalho de treinador do Cruzeiro no final de 2021, quando não conseguiu evitar a descida de divisão, Luxemburgo, nascido em Nova Iguaçu, no estado do Rio de Janeiro, mudou-se com a família para o estado do Tocantins.

"Saí de casa muito cedo de manhã para realizar o meu sonho de me tornar um futebolista. Não foi fácil, mas posso dizer com orgulho que o desporto me salvou a vida. As dificuldades foram sempre um combustível para ultrapassar obstáculos e lutar por aquilo em que acredito", disse.

Luxemburgo deu a entender que podia deixar o futebol para seguir uma carreira na política.

"No desporto cumpri a minha missão. Estudei muito, trabalhei em equipa e trouxe inovação e gestão à minha atividade. Tornei-me um reconhecido vencedor no Brasil e no mundo", afirmou o treinador, que jogou por várias equipas brasileiras e também treinou clubes na Arábia Saudita, Emirados Árabes Unidos, China e Espanha.

Ao lado de Luis Alonso Pérez "Lula", o treinador do Santos na 'era Pelé', Luxemburgo é o treinador mais bem-sucedido da liga brasileira, com cinco títulos.

Outras figuras desportivas no Brasil aventuraram-se na política, como os antigos futebolistas Pelé, que foi ministro dos Desportos, e Romário, atualmente senador pelo Partido Liberal (PL). Romário chegou ao Congresso com o Partido Socialista Brasileiro (PSB), o atual partido político de Luxemburgo.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.