O brasileiro foi alvo de duras críticas por ter abandonado a Chapecoense, no atual momento que o clube vive, rumado ao Fortaleza.

Marcelo Boeck usou a rede social Instagram para justificar esta mudança. O brasileiro referiu que a sua saída aconteceu porque não houve vontade do clube de Chapecó em renovar o seu empréstimo.

“Eu tinha total intenção de renovar contrato, mas não houve reciprocidade por parte da diretoria, que decidiu em não iniciar uma negociação connosco, situação que eu respeito muito”, escreveu.

O guardião acrescentou que “de maneira alguma abandonaria o clube após a tragédia de Medellín”, e mostrou triste por ter sido apelidado de “desertor”.

Leia o comunicado na íntegra:

“Todos sabem do meu carinho por essa instituição que tão bem me acolheu e, por isso, venho a público esclarecer que de maneira alguma, abandonaria o clube após a tragédia de Medellín. Recebi críticas após a notícia que eu iria atuar pelo Fortaleza ter sido divulgada como se eu fosse um desertor, como se eu não tivesse coração

Eu tinha total intenção de renovar contrato, mas não houve reciprocidade por parte da diretoria, que decidiu em não iniciar uma negociação connosco, situação que eu respeito muito. Felizmente, recebi proposta para atuar no Fortaleza, o que me deixou muito feliz e motivado, pois assim como a Chape, trata-se de um clube de excelente estrutura e de uma grande e fanática torcida

Apenas quero esclarecer algo que jamais faria num momento de tanta dor e tristeza. A Chape estará sempre comigo. Espero, um dia, voltar, e retribuir todo o carinho que recebi em Chapecó”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.