O frenético fim de semestre no futebol brasileiro, com jornadas duplas do Brasileirão todas as semanas e com o Flamengo a decidir no próximo dia 23 o título da Taça Libertadores, mexe com todos os adeptos no país. Com os rubro-negros, a gabarem-se do excelente momento, e dos rivais, que torcem por tropeções e, inclusive, lesões de figuras importantes da equipa de Jorge Jesus, tudo para não terem de ver o Flamengo campeão da América do Sul após 38 anos. E pela 31.ª jornada do Brasileirão, o Flamengo sofreu, e muito, para sair com mais três pontos, desta vez do rival local Botafogo, equipa que hoje figura entre as últimas do campeonato. Um jogo em que não faltaram lances que deixariam os fãs do râguebi entusiasmados.

No confronto entre antagónicos do Brasileirão’2019, o Botafogo cedo tomou as rédeas do jogo e atacou de forma perigosa a baliza de Diego Alves ao menos três vezes no início da primeira parte, com Luiz Fernando a ter a maior chance, mas o remate foi travado por Pablo Marí, o surpreendente defesa-central espanhol que Jesus foi recrutar ao Deportivo La Coruña. O Flamengo respondia com jogadas aéreas, mas sem grandes sustos para os alvinegros. Com mais lances de ‘excesso de vontade’ do que de criatividade, a primeira parte foi mais um festival de faltas e pontapés do que jogada. E seguindo o mantra de praticamente não poupar titulares nos jogos do Brasileirão, JJ apenas deixou de fora do onze titular o lateral Filipe Luís e o médio Arrascaeta, mas o Flamengo pouco criou até o fim da primeira parte.

Depois, o eixo da partida tornou-se de mão única após a expulsão do atabalhoado Luiz Fernando, avançado do Botafogo. Com mais qualidade e jogadores em campo, o Flamengo abusou dos remates e das chances falhadas, em noite de pouca inspiração de Gabriel e de, mais uma vez, muita vontade e velocidade de Bruno Henrique, extremo que tornou-se num dos principais jogadores do país. O jogo decorria com ataque contra defesa, a igualdade a persistir, até que ao minuto 89, Bruno Henrique desceu em velocidade pelo lado esquerdo e fez o centro para o jovem Lincoln, saído do banco minutos antes, em aposta ousada de Jesus, para marcar o golo solitário de um clássico quente. Após o término do encontro, muitas discussões e acusações de ambos os lados, a mais ríspida entre o central argentino Carli, do Botafogo, e o treinador português. Vitória de número 23 para o Flamengo, que não baixou a guarda após a vitória do Palmeiras no dia anterior e mantém oito pontos de vantagem para os paulistas.

O Palmeiras, que na quarta-feira visitou o terreno do Vasco da Gama, cedo adiantou-se no marcador, aos 12’, com Lucas Lima (aquele mesmo que poucos anos atrás, numa mesa de póquer, disse que estava certo com Barcelona para ser o companheiro de Neymar). Voltando ao jogo de São Januário, os vascaínos reagiram com o veloz Rossi, a fazer o centro para um autogolo bisonho do lateral Maike. Em mais uma pobre exibição dos palmeirenses, o jogo ia empatando, até que, perto do fim, Luiz Adriano brigou pela bola e rematou forte para dar o triunfo aos alviverdes, que ainda nutrem remotas chances de título.

Já neste fim de semana, mais Brasileirão, com a ronda de número 32 a reservar alguns clássicos regionais interessantes, o principal deles o dérbi paulista Palmeiras versus Corinthians. O Flamengo recebe o Bahia no domingo, num Maracanã que deverá estar cheio mais uma vez. Flamengo, Jesus, título, palavras com cada vez mais significado no vocabulário dos milhões de rubro-negros espalhado pelo país, e também ao redor do mundo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.