John Textor respondeu a Leila Pereira, presidente do campeão Palmeiras, depois de a dirigente do Verdão ter apelidado o acionista maioritário do Botafogo de "desequilibrado" e "ridículo".

"Eu nunca sugeri que ela, pessoalmente, é responsável pelas curiosas ações e forças externas que apoiam o sucesso da equipa dela. No tópico do equilíbrio, é preciso observar que a equipa dela vive num mundo em que jogar onze contra dez representa equilíbrio. O Palmeiras beneficiou da vantagem de onze contra dez, onze vezes durante a temporada 2023, um ano em que as equipas tiveram a média deste benefício em três vezes", escreveu o norte-americano, em comunicado.

Eis o comunicado completo de John Textor

"Eu entendo que a Sr.ª Pereira (Leila) ficaria chateada com nosso arquivamento com o judiciário. Ataques pessoais, porém, não ajudam ninguém, então eu não vou repetir essa ação. Ela sempre foi generosa comigo e eu sinto que essas sérias circunstâncias de erros de arbitragem e provavelmente manipulações de partidas coloque o Botafogo numa posição avessa aos interesses dela. Eu continuo com interesse de trabalhar com o Palmeiras e todos os clubes do Brasil para uma nova liga que terá o suporte de fair play para a competição nacional.

Eu nunca sugeri que ela, pessoalmente, é responsável pelas curiosas ações e forças externas que apoiam o sucesso da equipe dela. Ironicamente, assim como ela sugere que eu sou um cara "desequilibrado" por causa do estudo, eu queria lembrá-la que estamos buscando algo equilibrado para o benefício de todos os clubes, e benefício de todo o Brasil.

No tópico de equilíbrio, é preciso observar que o time dela vive em um mundo em que jogar 11 contra 10 representa equilíbrio. O Palmeiras se beneficiou da vantagem de 11 contra 10 onze vezes durante a temporada 2023, um ano que as equipes tiveram a média deste benefício em 3. Botafogo, que nesse ano teve agressiva competição (encarando também documentadas violentas ações) não se beneficiou disso em nenhum momento. A estatística, claro, não faz menção aos três cartões vermelhos óbvios que o Palmeiras deveria ter levado, no mínimo, assim como há documentações independentes na mão do STJD. É sabido que outros clubes se sentem da mesma forma, o Palmeiras se aproveita de proteção da arbitragem.

De novo, os erros de viés e erros de manipulação são antigos no futebol. No Brasileirão de 2023, temos evidências comprovadas que mostram que isso teve uma mudança efetiva na tabela do campeonato. A única diferença é que dessa vez a SAF Botafogo foi a primeira a enviar, para o governo judiciário, estatísticas avançadas e confirmação independente de problemas que acreditamos que podem ser consertados para o futuro... para o benefício de todos nós.

Sr.ª Pereira... Parabéns pelo título do Brasileirão 2023."

O Palmeiras empatou com o Cruzeiro na madrugada de quarta para quinta-feira e sagrou-se bicampeão do Brasil, num ano em que chegou a ter 13 pontos de atraso para o Botafogo, equipa que liderou a prova durante 31 rondas mas acabou no 6.º posto.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.