O mundo do futebol vai ter os olhos e os ouvidos direcionados na Alemanha, este fim-de-semana, com o regresso da Bundesliga, 66 dias após a paragem e com um plano rigoroso de prevenção de contágios da COVID-19. É a primeira das grandes Ligas Europeias a dar o pontapé-de-saída no regresso do desporto-rei, após mais de dois meses suspenso, devido a pandemia do novo coronavírus.

Muitos países, incluindo Itália, Espanha e Inglaterra, as outras três grandes potências que ainda esperam jogar o que falta dos respetivos campeonatos, vão acompanhar de perto com esperança e apreensão a experiência alemã. Um fracasso reduziria drasticamente as suas próprias hipóteses de convencer os seus governos a darem o 'sinal verde' para o regresso das provas de futebol. França e Holanda já deram por terminadas as suas épocas de futebol, Portugal agendou para o dia 4 de junho o regresso da Primeira Liga mas cancelou as outras provas.

O presidente do Bayern Munique espera que o regresso da prova seja visto no próximo fim de semana por "mil milhões de telespetadores" em todo o mundo.

"A Bundesliga é a primeira grande liga a reiniciar a época em todo o mundo. E se a Bundesliga é a única a ser transmitida em todo o mundo, então teremos mil milhões de telespetadores", disse Karl-Heinz Rummenigge, em declarações à revista Sport Bild.

COVID-19: Casos no Dresden não colocam em causa regresso do futebol na Alemanha
COVID-19: Casos no Dresden não colocam em causa regresso do futebol na Alemanha
Ver artigo
Protocolo para regresso da Bundesliga
Protocolo para regresso da Bundesliga

Mais do que ver o fenómeno Erding Haaland ou a acesa luta pelo título, os olhos estarão postos no rigoroso protocolo de segurança que será testado já este sábado, nos cinco encontros agendados para às 14h30 de Portugal continental, sem público nas bancadas.

Os intervenientes no jogo foram divididos em zonas. Na zona 1, no relvado, estarão os elementos fundamentais ao jogo, como atletas, árbitros, staff médico e staff técnico. Na zona 2, nas bancadas, estarão os jornalistas, equipas que asseguram a transmissão do jogo em direto e o staff de segurança do estádio. Na zona 3, nos limites do estádio, serão permitidos a presença de, no máximo, 300 pessoas, 100 em cada zona.

Serão permitidos, no máximo, 322 pessoas a trabalhar nas dependências do estádio.

Protocolo para regresso da Bundesliga
Protocolo para regresso da Bundesliga créditos: DFL

Eis algumas regras impostas pela Bundesliga

- As equipas devem chegar em vários autocarros, com um mínimo de 1,5 metros de distância entre os jogadores.

- Nos balneários deve-se continuara a respeitar a regra de distância de 1,5 metros entre os jogadores. Na utilização dos balneários, os jogadores serão divididos entre os titulares e os suplentes, sendo os dois grupos não devem estar no espaçoao mesmo tempo. Cada grupo deve permanecer, no máximo, 30 minutos nos balneários.

- A entrada em campo será feita sem o habitual acompanhamento de crianças. Não haverá cerimónia de abertura nem aperto de mãos na escolha de campo.

- No banco de suplentes deve-se respeitar o distanciamento de 1,5 metros entre jogadores. Os jogadores estarão sentados, com um lugar a separa-los. Todos devem usar máscaras.

- Inicialmente os treinadores estavam também obrigados a utilizar máscaras mas, depois de explicarem à DFL que a máscara dificultaria o trabalho a partir do banco, foram dispensados de utilizar este material de proteção. No entanto, terão mesmo de respeitar a distância de segurança de cerca de um metro e meio relativamente aos restantes elementos com presença autorizada no banco de suplentes.

- Para os jornalistas, não haverá zonas mistas com os jogadores nem conferências de imprensa com os treinadores. Os mesmos analisarão o jogo através de video-conferência.

- À exceção dos jogadores de campo e árbitros, todos os presentes no estádio devem usar máscaras de proteção. As bolas de jogo terão de ser desinfetadas antes e durante o jogo.

- Não serão permitidos abraços ou apertos de mão na celebração dos golos. Só são permitidos toques de cotovelo ou com os pés.

- No final do jogo, não haverá as habituais trocas de camisola.

Cinco substituições testadas

Outra novidade no regresso da prova é o aumento das substituições. Esta medida, autorizada pela FIFA e após a concordância do Internacional Board (IFAB), vai de encontro às advertências médicas, de forma a evitar lesões e desgastes dos futebolistas, que regressam aos relvados na Alemanha no sábado, para os jogos da 26.ª jornada.

As cinco alterações podem ser feitas em três momentos do jogo, incluindo o intervalo, sendo que se as duas equipas fizerem substituições em simultâneo esta vai contar para ambas, ficando só com mais uma possibilidade de alteração.

Antes do arranque da Bundesliga, jogadores e staffs técnicos e médicos, assim como funcionários, foram submetidos a rigorosos testes. Foram feitos maisd de 1700 testes nos 36 clubes da Primeira e Segunda divisão numa primeira fase, que resultaram em 10 casos positivos. Na segunda fase foram testadas 1695 pessoas, e apenas se detetaram dois casos positivos para COVID-19.

Dortmund vs Schalke04: reinício com um dérbi 'estranho'

Em campo, quando faltam dez jornadas para o fim da prova, há tudo por decidir. O Bayern Munique lidera a prova com 55 pontos, mais quatro que Borussia Dortmund, de Raphael Guerreiro. A luta pelo título e pelo acesso aos lugares de 'Champions' será acesa, já que o RB Leipzg, 3.º, tem apenas menos um ponto que o Dortmund e mais um que o Borussia Monchengadbach. O Bayer Leverkusen tem 47. Depois segue a luta pelos lugares de Liga Europa: o Schalke04 é 6.º com 37 pontos. Seguem Friburgo e Wolfsburgo com 36, Hoffenheim com 35.

O Eintracht Frankfurt, de André Silva e Gonçalo Paciência, estão no 12.º posto com 28 pontos. Para este regresso da Bundesliga, a equipa de Frankfurt não poderá contar com Gonçalo Paciência, lesionado.

Um dos jogos mais esperados deste sábado é o estranho dérbi do Vale do Ruhr,  entre o Borussia Dortmund e o Schalke04, sem público pela primeira vez na história. O magestoso Signal Iduna Park não irá 'ferver' como os mais de 80 mil espetadores que costumam lotar o estádio.
Ao jogar as últimas nove jornadas da temporada, os clubes recuperarão 300 milhões de euros em direitos de televisão, o que permitirá que vários deles evitem a falência.

A meta é terminar o campeonato no dia 27 de junho. Mas a liga não exclui ir até julho, se algum clube for vítima de uma grande contaminação por coronavírus e for obrigado a permanecer em quarentena por mais catorze dias.

Ausburgo sem treinador no banco no regresso da Bundesliga: a culpa é da pasta de dentes
Ausburgo sem treinador no banco no regresso da Bundesliga: a culpa é da pasta de dentes
Ver artigo

A pandemia de COVID-19 veio interromper a fantástica fase de Haaland, jogador que tinha marcado nove golos em oito jogos na Bundesliga desde que chegou oriundo do Salzburgo em janeiro.

Após a declaração de pandemia, em 11 de março, as competições desportivas de quase todas as modalidades foram disputadas sem público, adiadas – Jogos Olímpicos Tóquio2020, Euro2020 e Copa América -, suspensas, nos casos dos campeonatos nacionais e provas internacionais, ou mesmo canceladas.

Os campeonatos de futebol de França e dos Países Baixos foram cancelados, enquanto outros países preparam o regresso à competição, com fortes restrições, como sucede na Alemanha, Inglaterra, Itália, Espanha e Portugal, que tem o reinício da I Liga previsto para 04 de junho.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 302 mil mortos e infetou quase 4,4 milhões de pessoas em 196 países e territórios. Mais de 1,5 milhões de doentes foram considerados curados.

A Alemanha registou até hoje quase 180.000 casos de pessoas infetadas com o novo coronavírus e cerca de 8.000 mortes.

Os jogos neste novo arranque da Bundesliga.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.