Uli Hoeness não teve 'papas na língua' na hora de falar do Manchester City e do Paris Saint-Germain. O presidente do Bayern Munique tem sido uma das vozes mais críticas dos modelos de emblemas como City e PSG, autênticos clubes-Estado desde que foram adquiridos por fundos do Qatar e dos Emirados Árabes Unidos.

"O vosso dinheiro de merda já não é suficiente", começou por dizer acerca do City e PSG, num podcast sobre a sua vida que será transmitido a partir desta sexta-feira.

"Até agora, estes dois clubes [PSG e Manchester City] não ganharam absolutamente nada. Nada de nada! Nada mesmo. Eles continuarão a perder para nós. E quando ganhamos contra eles, isso dá-me uma enorme alegria. É isso que me estimula", disse o presidente honorário dos bávaros.

No mesmo podcast, o alemão foi questionado se se o presidente do PSG não seria o novo Hoeness.

"Al-Khelaifi é o novo Hoeness? Não, não acho isso. Nem sei se gosta de futebol. A diferença dele para mim? Eu trabalhei duro para ganhar o meu dinheiro e ele recebeu como um presente. Colocam à sua posição e não precisa de trabalhar para isso. Quando quer um jogador, vai falar com o seu Emir, atirou o alemão de 69 anos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.