O alemão Jupp Heynckes, que abandonou o comando técnico dos alemães do Bayern Munique, reiterou hoje a sua indisponibilidade para voltar a treinar clubes ou seleções, devido às suas reticências a anunciar a retirada definitiva.

«Sou contra o nunca mais. Mas posso garantir que não está previsto voltar a treinar, porque tive um final digno», afirmou Heyckes, que no comando dos bávaros venceu o campeonato e a taça da Alemanha e a Liga dos Campeões, em entrevista ao semanário Der Spiegel.

O técnico, que vai ser substituído pelo espanhol Pep Guardiola, identificou o trabalho coletivo como a chave para o sucesso do Bayern Munique, no qual «incluindo Robben e Ribery assumiram tarefas defensivas».

Heynckes, de 68 anos, considerou ainda que «a mudança geracional» no comando técnico do Bayern é «a decisão correta» e que a escolha do antigo treinador dos espanhóis do FC Barcelona é a sua «solução preferida».

«O Guardiola é 26 anos mais novo do que eu. É um treinador de sucesso e muito pretendido e o Bayern tinha de o assegurar», prosseguiu, acrescentando que o técnico vai receber «uma equipa que funciona na perfeição».

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.