O patrão do Bayern Munique, o ex-futebolista Karl-Heinz Rummenigge, declarou hoje o seu apoio a Franz Beckenbauer, no escândalo de atribuição do Mundial2006 à Alemanha, dizendo que se apoiam os amigos.

“Quando um amigo está em dificuldades, devemos ficar ao seu lado”, começou por dizer Rummenigge, salientando não estar por dentro da história, mas que Beckenbauer foi seu “treinador, capitão e presidente”.

Rummenigge, que falou em conferência de imprensa no centro de treinos do Bayern Munique, quis demonstrar o seu apoio a Franz Beckenbauer, acrescentando que será o que todos irão fazer no clube bávaro.

Beckenbauer, de 70 anos, está na linha da frente num escândalo que envolve a atribuição do Mundial2006 à Alemanha, na sequência de denúncia da revista Der Spiegel sobre presumíveis subornos para a Alemanha conquistar a organização, mas decisivas foram as notícias posteriores sobre evasão fiscal.

A revista revelou que o comité de candidatura alemão, em que tinha então assento o ex-presidente da Federação Wolfgang Niersbach, criou um ‘saco azul’ que usou para comprar votos visando ganhar a organização da prova realizada há nove anos.

Beckenbauer, que presidiu ao comité organizador do Mundial2006, negou a compra de votos, apesar de a DFB ter reconhecido que efetuou um pagamento de 6,7 milhões de euros à FIFA, mas que não estaria relacionado com o torneio.

Na votação, que decorreu no ano de 2000, a Alemanha ganhou o direito de organizar o Campeonato do Mundo por uma vantagem de um voto, tendo conquistado 12, contra os 11 da África do Sul, após a abstenção do neozelandês Charles Dempsey.

O antigo futebolista alemão Franz Beckenbauer chegou a assumir que cometera um "erro" enquanto presidente do comité organizador do Mundial de 2006, na Alemanha, mas garantiu que não comprou votos para ter o direito de sediar a prova.

Na terça-feira, o vice-presidente da Federação Alemã de Futebol (DFB) Rainer Koch disse que é tempo de o ex-futebolista Franz Beckenbauer, presidente do comité organizador do Mundial2006, falar sobre as alegadas irregularidades na atribuição do torneio.

“Entendo o interesse da DFB em clarificar a situação, mas gostaria que fossem mais sensíveis no que diz respeito à pessoa de Franz Beckenbauer, a quem devem muito, e estou só a pensar no Mundial que ganharam com ele”, adiantou Rummenigge.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.