Académica do Porto Novo e Mindelense de São Vicente disputam a final do Campeonato de Cabo Verde. O treinador da formação de São Vicente congratulou a equipa de Santo Antão pelo feito alcançado mas agora quer ganhar.

«Primeiro quero dar os parabéns à Académica do Porto Novo pela sua primeira final no Campeonato de Cabo Verde e dar uma palavra de apreço aos jogadores do Mindelense que fizeram de tudo para estar aqui. Encaramos a final com seriedade e respeito para com o adversário, na esperança de fazer dois bons jogos e sermos campeões», afirmou Bubista, em entrevista telefónica ao SAPO Desporto.

Bubista: «Podemos ganhar em qualque campo»

Apesar de algumas dificuldades em casa, onde os Leões da Rua da Praia perderam com o Desportivo da Praia na fase e grupos e empataram com a Académica do Fogo nas meias-finais, o treinador do Mindelense lembra que nem sempre se consegue transformar a superioridade em campo em golos.

«Não concordo que jogamos melhor fora que em casa. Fizemos dois grandes jogos contra a Académica do Fogo. No primeiro jogo, fizemos uma grande primeira parte, na segunda eles foram uma vez a nossa baliza e marcaram, num golo conseguido, a meu ver, em fora-de-jogo. Temos de lembrar que há sempre um adversário. Podemos entrar com a perspetiva de marcar logo mas isso nem sempre acontece. Fico contente por estarmos a criar muitas oportunidades. O golo pode acontecer no segundo como no 90.º minuto. Podemos jogar contra qualquer adversário, fora e em casa, da mesma forna», lembrou.

A eliminatória frente aos campeões do Fogo não foi fácil. O Mindelense teve de ir vencer na ilha do Vulcão para marcar presença na final. Bubista explica qual foi a chave para o sucesso. «A Académica do Fogo jogou em contra-ataque. Tivemos de ter a bola em nosso poder o mais possível, não os deixar contra-atacar, deixa-los longe da nossa baliza. Conseguimos isso nos dois jogos».

«Espero fair play e bom espetáculo»

Esta final a Norte de Cabo Verde será vantajoso para as duas equipas no que toca as viagens, mas também para o público. Bubista apela ao fair play.

«A proximidade será uma oportunidade para as pessoas das duas ilhas aproveitarem para assistirem dois bons espetáculos. É a primeira vez que isto acontece. Esperamos que o público possa dignificar o espetáculo com fair play e esperamos apresentar um bom futebol. A final foi o que sempre procuramos e vamos fazer tudo para apresentar dois bons espetáculos e vencer», sublinhou o treinador do Mindelense.

Para este jogo com a Académica, Bubista não poderá contar com Toy Adão, lesionado. O treinador campeão de São Vicente lembra que o plantel dá garantias para dois bons jogos.

Só falta Toy Adão

«Uma equipa é construída para quando acontecem estas situações, que podemos resolver como equipa sem lamentar quem está e quem não está. Gostaríamos de contar com todos mas temos 24 jogadores no plantel. Neste momento temos alguns jogadores tocados, como o Djosa, com suspeitas de fratura no nariz, Goussou tem uma inflamação num joelho, o Guga também está limitado, mas estamos a contar que todos recuperem até o dia de jogo», desejou Bubista.

O Mindelense recebe este sábado, 6 de julho, a Académica do Porto Novo, na primeira mão da final do Campeonato de Cabo verde. A segunda mão está marcada para o fim-de-semana seguinte.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.