Portugal ficou fora da final da Taça das Confederações. Os lusos perderam com o Chile por 3-0 no desempate por grandes penalidades, depois de 0-0 nos 120 minutos. Fernando Santos mexeu muito ao longo do jogo, mas a equipa não melhorou. O técnico justificou o que quis com as mexidas.

"A equipa entrou bem, estevem bem nos primeiros 15, 20 minutos, com boa circulação de bola e anulando a pressão forte do Chile. Mas o Chile é uma grande equipa e respondeu bem, a partir dos 20 e 30 minutos, dividiu o jogo, acertou nas marcações. Foi um jogo equilibrado nos 120 minutos, com Portugal umas vezes mais forte, outras vezes era o Chile. Num jogo equilibrado há períodos bons e menos bons. Tivemos também de gerir algum cansado dos jogadores. O jogo foi ficando partido e depois fechado", começou por justificar Fernando Santos.

"Tentei modificar alguma coisa, estávamos a lançar muito a bola. O André Silva estava desgastado, tinha amarelo, entendi que era melhor colocar um jogador atrás [André Gomes] e com Ronaldo na frente, acreditei que podia resultar e resultou nos primeiros dez minutos, com André Gomes a aparecer em zona de remate. Tentamos tudo, a equipa deles não teve muita bola mas teve duas ou três oportunidades fortes na parte final. Eles foram tirando médios sem colocar ninguém na frente. Entramos depois com Nani e Gelson para tentar tirar partido do desgaste deles com velocidade e depois nos penáltis, umas vezes se é herói, outras não. O futebol é assim", justificou o técnico lusos.

Sobre o jogo de atribuição dos terceiro e quarto lugares, Fernando Santos garante que agora é tempo de "pensar com calma" antes de começar a pensar nesse encontro em Moscovo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.