Ser o anfitrião da Taça das Confederações e ter no curriculum cinco Campeonatos do Mundo deveriam ser argumentos suficientes para dar favoritismo ao Brasil na competição que arranca este sábado.

A um ano da organização do Mundial, esta Taça das Confederações surge como uma etapa decisiva no crescimento de uma equipa em plena travessia do deserto. Depois de dois anos com muitas experiências – e pouco ou nenhum sucesso - sob o comando de Mano Menezes, o Brasil reencontrou-se com Luiz Felipe Scolari, na esperança que o ‘sargentão’ consiga repetir o feito de 2002, em que deu o ‘penta’ ao povo brasileiro.

Fiel ao seu estilo, o antigo selecionador de Portugal voltou a causar polémica com as suas escolhas. Tudo pela defesa de um grupo forte, onde não tiveram espaço os cotados Ronaldinho Gaúcho, Kaká e Ramires. Scolari procedeu a uma autêntica revolução nos 23 eleitos para a Taça das Confederações, onde a juventude é a palavra de ordem (média de 26 anos).

Apenas quatro dos 23 jogadores – Fred (2006), Daniel Alves, Thiago Silva e Júlio César (todos em 2010) – sabem o que é estar num Campeonato do Mundo. Paralelamente, o peso dos brasileiros a jogar no seu país é agora maior face aos ‘estrangeiros’ que dominaram a canarinha nos últimos anos (10 ‘brasileiros’ para 13 ‘estrangeiros’).

Entre os convocados de Scolari, um nome destaca-se acima de todos os outros: Neymar. O craque formado no Santos chega a esta prova sob enorme expectativa, na sequência da transferência para o Barcelona por 57 milhões de euros. No entanto, há mais promessas à beira de “explodir” no Brasil, como são os casos de Bernard, Óscar e Lucas. Os dois últimos já rumaram à Europa e precisam apenas de provar o seu valor na ‘canarinha’, enquanto Bernard (At. Mineiro) é um talento ainda por revelar.

A seleção brasileira entra em campo este sábado (20h00), frente ao Japão, para o jogo de abertura da Taça das Confederações, que terá a arbitragem do português Pedro Proença.

Lista de convocados:

Guarda-redes: Júlio César, Diego Cavallieri e Jefferson.

Defesas: Thiago Silva, Rever, David Luiz, Dante, Daniel Alves, Jean, Marcelo e Felipe Luís.

Médios: Fernando, Hernanes, Luiz Gustavo, Paulinho, Jadson, Oscar e Bernard.

Avançados: Lucas, Jô, Hulk, Fred e Neymar.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.