Um autogolo do defesa Zequinha deu a vitória ao Mindelense frente à Académica da Praia, em jogo da 2ª jornada da fase de grupos do campeonato de Cabo Verde, disputado no Estádio Adérito Sena.

Num jogo muito táctico e em que as duas formações apostaram no erro do adversário faltou velocidade e, por isso, desejava-se um ritmo mais acelerado, embora a entrega e o denodo que os futebolistas empreenderam em cada lance disputado.

Nos primeiros 30 minutos o registo para dois remates com algum perigo em cada baliza, aos 16 minutos por Fredson, do Mindelense, e aos 21 por Sylla, da Académica da Praia.

Na ponta final da primeira etapa do jogo, o Mindelense voltou criar perigo em dois lances, sempre por Papalêlê, mas ao fim dos primeiros 45 minutos registava-se o nulo no marcador.

O intervalo foi aproveitado pela equipa do Cantareira para, numa volta olímpica ao estádio, exibir o troféu de campeão de Cabo Verde em futebol sub-17, conquistado recentemente.

A segunda parte do jogo Mindelense – Académica da Praia não trouxe muitas novidades em relação à primeira, embora o esforço da equipa da casa em imprimir mais velocidade, até porque a Académica parecia cansada e os seus futebolistas foram várias vezes assistidos meramente por problemas físicos.

Num lance a oito minutos dos 90 regulamentares, Yuran desmarcou Papalêlê na área da Académica da Praia e o defesa Zequinha, na tentativa de desarmar o avançado encarnado, introduziu a bola na sua própria baliza.

Com a vitória de hoje, o Mindelense passa a somar quatro pontos, contra um da Académica da Praia, e lidera o grupo de qualificação à segunda fase da prova.

Nas reacções no fim do jogo, o treinador do Mindelense, Rui Alberto Leite,

considerou que se tratou de uma partida “bastante táctica”, mas que a jogar em casa a sua equipa tinha “a obrigação de ganhar”.

“A Académica tentou baixar o ritmo do jogo, se calhar por cansaço, mas na primeira parte fizemos um jogo bem conseguido, e melhor ainda na etapa complementar”, concretizou o técnico encarnado, que lembrou ainda o desgaste a que a sua equipa tem sido submetida com as viagens em duas competições em simultâneo, o campeonato e a Taça de Cabo Verde.

Por seu lado, o treinador da Académica da Praia, Nelito Antunes, declarou que a sua equipa fez “um bom jogo”, que trouxe a lição estudada daquilo em que o Mindelense é forte, mas que uma falha na ponta final “deitou tudo a perder”.

“No futebol, já se sabe, quando se falha o custo é elevado, agora temos que levantar a cabeça e trabalhar de forma mais afincada”, sintetizou o técnico praiense.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.