A futebolista brasileira Marta, que alinha no Tyreso, manifestou esta quarta-feira o desejo de conquistar, pela segunda vez na carreira, a Liga dos Campeões feminina e "fechar com chave de ouro" o inédito percurso europeu da formação sueca.
A internacional brasileira, que venceu por cinco vezes o prémio de melhor futebolista do Mundo, entre 2006 e 2010, assegurou que a equipa "está bem preparada" para a final de quinta-feira, no Estádio do Restelo, em Lisboa, diante das atuais campeãs europeias, as alemãs do Wolfsburgo.
"Temo-nos vindo a preparar para este grande sonho, desde 2012, quando ganhámos a Liga sueca e nos qualificámos para a `Champions´. Já temos uma longa estrada em conjunto e esperamos terminar de forma bem positiva e com um sorriso no rosto", começou por dizer, à Lusa, no dia aberto à comunicação social.
Depois da conquista de 2004 e do segundo lugar, em 2008, ambos ao serviço do Umea, Marta prepara-se para disputar a terceira final europeia da carreira, mostrando-se esperançada em "fechar com chave de ouro" o inédito trajeto europeu do estreante Tyreso.
"Batalhámos muito para aqui chegar e, se conseguirmos o título, iremos fechar com chave de ouro este trabalho que tem sido feito. Já estive em duas finais, em 2004 e 2008. Espero poder repetir o resultado de 2004, porque já não sinto esse `gostinho´ de ser campeã numa Liga tão grandiosa como esta, desde então", realçou.
Já a norte-americana Christen Press, avançada do Tyreso e melhor marcadora da competição, com nove golos, admitiu que a equipa "está cheia de energia e entusiasmo" para a final, tendo igualmente confessado que este será "o jogo mais importante" da sua carreira de futebolista.
"Este é o jogo mais importante da minha carreira, portanto há muita pressão. A minha família veio da Califórnia para assistir ao jogo. Quero ganhar, pela equipa e pela minha família, mas o nosso treinador tem-nos dito para aproveitarmos o momento. Esse será o fator decisivo para o nosso sucesso amanhã [quinta-feira]", referiu.
A jogadora, de 25 anos, admitiu que o Wolfsburgo é claro favorito para vencer a decisão, mas assegurou que o conjunto sueco vai dar "o melhor", mesmo depois de uma época assolada por problemas financeiros.
"Os holofotes estão todos em cima do Wolfsburgo. É o campeão em título, tem jogadoras que ganharam tudo no ano passado e é um clube mais estável do que o nosso. No entanto, não nos consideramos `outsiders´. Apesar de o Wolfsburgo ser favorito, não pensamos que será necessário um milagre para vencermos. Só temos de jogar o nosso melhor", concluiu.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.