O governo angolano prometeu hoje disponibilizar mais de três milhões de dólares para a seleção angolana, orientada pelo treinador português Pedro Gonçalves, com vista a fazer face às despesas da campanha na Taça das Nações Africanas de 2023 (CAN2023).

A promessa do governo angolano surgiu seis dias depois de o presidente da Federação Angolana de Futebol (FAF), Artur Almeida e Silva, ter anunciado a iminente desistência da seleção angolana, por falta de dinheiro, de modo a fazer face às despesas durante a fase de apuramento.

Após assinatura esta tarde, em Luanda, de um memorando entre o Ministério Angolano da Juventude e Desportos e a FAF, Artur Almeida e Silva garantiu que a quantia financeira é suficiente e, por isso, não haverá necessidade de recurso a patrocínios.

O dinheiro vai ser disponibilizado por parcelas, com o processo a começar já a partir dos próximos dias.

O diretor nacional dos desportos angolano Nicolau Daniel disse estarem criadas as condições para que Pedro Gonçalves e a seleção dignifiquem Angola na fase de apuramento da Taça das Nações Africanas, que se vai disputar na Costa do Marfim.

Na fase de qualificação para a CAN2023, que arranca dentro de duas semanas, a seleção angolana de futebol, que está inserida no Grupo E, vai defrontar as congéneres da República Centro Africana, em 01 de junho, em Luanda, em jogo da 1.ª jornada , cinco dias depois, joga diante do Madagáscar, no reduto deste, e na terceira jornada defronta o Gana.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.