Em 2019 o Valência surpreendeu o Barcelona e venceu a Taça do Rei, ao bater os catalães na final por 2-1. Foi o último troféu do emblema Che, conquistado sob o comando do técnico Marcelino Toral, numa final que contou com o português Gonçalo Guedes.

Ora a conquista nem era para acontecer, de acordo com revelações feitas pelo antigo treinador do Valência. Em entrevista ao jornal 'The Guardian', Torral revelou que os donos do clube queriam que a equipa… perdesse.

"A Direção destruiu um projeto em que os jogadores estavam felizes e sentiam que eram capazes de vencer todas as equipas", começou por contar.

"Disseram-nos, muito claramente, para não vencer a final da Taça do Rei, para não entrar com os melhores jogadores. Nós acabámos por tomar uma decisão diferente que se coadunou com o estatuto de um clube como o Valencia. Lembro-me perfeitamente no final do jogo de ter dito aos jogadores: 'Vão existir consequências'", contou.

Na mesma entrevista, Marcelino Toral, deixou fortes críticas a Peter Lim, empresário que detém o clube.

"Não sei se ele gosta de futebol, mas em várias reuniões disse-me uma coisa e depois, quando viajava 30 horas para conversarmos cara a cara, dizia outra completamente diferente. Não consigo perceber", finalizou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.