A Polícia Nacional de Timor-Leste (PNTL) procura identificar os autores de um vídeo que circulou durante o dia de hoje, em que um grupo de jovens queima a bandeira portuguesa em protesto pela derrota da seleção frente à Bélgica.

“Os nossos serviços de inteligência estão a recolher informações para saber quem queimou a bandeira portuguesa. Estão no terreno a tentar saber”, disse à Lusa o comandante distrital da PNTL em Díli, Henrique da Costa.

“Não é só em Díli que se está a viver com muito entusiasmo o Ruropeu. Está a ser assim em todo o país. Por isso, a informação está a circular pelo país para ajudar a identificar os suspeitos”, explicou, pedindo desculpa aos portugueses pela destruição da bandeira.

Henrique da Costa referiu que foi já feito um primeiro contacto com o Ministério Público para que se possa avançar com o processo de acusação quando os autores forem identificados.

No vídeo, que começou a circular pouco depois da derrota de Portugal contra a Bélgica, vê-se a bandeira portuguesa a ser queimada e ouvem-se vários jovens a dirigir insultos à seleção portuguesa e ao seu capitão, Cristiano Ronaldo, que é quase figura mítica para uma grande da população do país.

O vídeo tornou-se viral nas redes sociais do país, suscitando duras críticas e apelos à intervenção policial para identificar os autores do incidente.

O comandante das Forças de Defesa de Timor-Leste (F-FDTL), Lere Anan Timur, juntou-se ao coro de críticas, considerando inaceitável a destruição do símbolo da soberania portuguesa, especialmente tendo em conta as ligações históricas entre os dois países.

“Considero isto um crime. Queimar a bandeira é um ato contra a soberania. Espero que a polícia investigue e identifique os suspeitos”, afirmou aos jornalistas, segundo a imprensa timorense.

Além do incidente da bandeira, Henrique da Costa disse que a polícia foi chamada na madrugada de hoje à zona de Becora, em Díli, onde dois grupos de jovens, apoiantes de Portugal e da Bélgica, se confrontaram.

“Os dois grupos apedrejaram-se mas quando a patrulha policial chegou, os jovens fugiram e a situação acalmou-se”, referiu.

Desde o começo do Europeu de Futebol, Timor-Leste viveu com grande intensidade todos os jogos da seleção, apesar de vários ocorreram durante a madrugada no país, chegando a haver caravanas e celebrações nas ruas do país.

Imagens de pessoas de todas as idades com bandeiras portuguesa fizeram recordar as gigantescas celebrações da vitória portuguesa no europeu de 2016.

Além das celebrações, muitos timorenses fazem apostas avultadas nos jogos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.