A seleção portuguesa de sub-17 de futebol assegurou hoje uma vaga na Ronda de Elite de qualificação para o Europeu da categoria, ao bater as Ilhas Faroé, por 3-0, no Estádio Municipal da Belavista, no Parchal, no Algarve.

Na segunda vitória em outros tantos jogos da primeira fase de qualificação, Gonçalo Moreira, aos 18 minutos, Nuno Patrício (45+1) e Olívio Tomé (58) assinaram os tentos da equipa das 'quinas'.

Os portugueses, com apuramento garantido para a próxima fase, ocupam o primeiro lugar do Grupo 1, com seis pontos, mais dois do que a Eslovénia, enquanto o Cazaquistão soma um ponto e as Ilhas Faroé ainda não pontuaram.

Portugal defronta a Eslovénia na terça-feira, na terceira e última ronda, no Estádio Algarve, às 17:00, para decidir o triunfo no agrupamento, que garantirá o estatuto de cabeça de série no sorteio da Ronda de Elite.

Os dois primeiros classificados dos 13 grupos e os quatro melhores terceiros classificados - contando apenas os resultados contra os dois primeiros - apuram-se para a Ronda de Elite, a segunda fase de qualificação para o Europeu de 2023, que será disputado na Hungria.

Para a partida deste sábado, o selecionador Filipe Ramos operou cinco alterações à equipa que tinha vencido na quarta-feira o Cazaquistão (6-1), mexendo em todos os setores, da baliza ao ataque.

A tónica do encontro foi de muita posse de bola dos portugueses, que, contudo, na primeira parte, esbarraram quase sempre contra um autêntico 'muro' construído pelas Ilhas Faroé, com as linhas muito baixas e, às vezes, posicionadas até num inusitado '6-3-1'.

Depois de vários remates intercetados, na primeira grande ocasião, aos 18 minutos, Portugal chegou à vantagem num cabeceamento certeiro de Gonçalo Moreira, após assistência, também de cabeça, de Olívio Tomé.

Nos descontos da primeira metade, a seleção portuguesa aumentou a diferença, por Nuno Patrício, num desvio ao primeiro poste, após cruzamento da direita do lateral Martim Fernandes (45+1).

Após o intervalo, Portugal mostrou mais dinâmica ofensiva, aproveitando algum cansaço do rival para criar mais perigo: Diogo Lobão atirou à barra (57) e, um minuto depois, Olívio Tomé concretizou de cabeça, após cruzamento de Gonçalo Moreira.

Até ao apito final, os portugueses continuaram 'por cima', desperdiçando mais algumas oportunidades, a mais flagrante num cabeceamento de Rodrigo Viola ao poste (82).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.