A seleção portuguesa de sub-19 ofereceu hoje a 26.ª final de uma grande competição internacional ao futebol português, a mais saborosa das quais foi atingida em 2016 pela equipa principal, que se sagrou campeã europeia.

A goleada por 5-0 alcançada hoje sobre a Ucrânia, nas meias-finais do Campeonato da Europa de sub-19, colocou a equipa treinada por Hélio Sousa no jogo decisivo, que Portugal venceu 12 vezes e perdeu 13, nas 25 presenças anteriores em Europeus e Mundiais de vários escalões.

Portugal, que procura conquistar o primeiro título de sub-19, depois de se ter sagrado campeão em 1961, 1994 e 1999, ainda no formato sub-18, é o país com maior número de finais perdidas - oito, em 1971, 1988, 1990, 1992, 1997, 2003, 2014 e 2017 -, as três últimas já com o atual modelo competitivo.

Foi, precisamente, a derrota sofrida no ano passado, na final do Europeu de sub-19, que desequilibrou a balança em desfavor da ‘equipa das quinas’, derrotada por 2-1 pela Inglaterra, recordista de títulos no escalão, em igualdade com a Espanha, ambas com 10.

Portugal tinha equilibrado as contas das finais com o triunfo no Euro2016, selado com um tento do suplente Eder, aos 109 minutos, frente à anfitriã França, depois de ter arrebatado o Europeu de sub-17, no Azerbaijão, ao bater a Espanha por 5-4 nos penáltis.

Com o triunfo em Baku, Portugal acabou com uma série de cinco derrotas consecutivas em finais, que incluía a única da seleção principal, que, em 04 de julho de 2004, perdeu em casa o jogo decisivo do Euro2004, perante a Grécia (0-1).

As outras aconteceram no Mundial de sub-20 (2-3 após prolongamento, com o Brasil, na Colômbia2011), no Europeu de sub-21 (3-4 nos penáltis, após 120 minutos sem golos, face à Suécia, na República Checa2015) e duas no Europeu de sub-19.

A anterior vitória datava de 2003, ano em que a seleção de sub-17 venceu, em Viseu, o respetivo Europeu, ao bater na final a Espanha por 2-1.

Os títulos mundiais de juniores, de 1989 (Riade) e 1991 (Lisboa), em finais face a Nigéria (2-0) e Brasil (4-2 nas grandes penalidades, após 120 minutos sem golos), respetivamente, eram, até hoje, os maiores feitos lusos.

No total, e além destas duas finais (uma de sub-19 e outra de sub-20), Portugal vencera ainda uma do Torneio Internacional de Juniores, duas do Europeu de sub-18, duas do de sub-17 e quatro do de sub-16.

Quanto às derrotas em finais, a lista é ‘liderada’ pela do Europeu de 2004, seguido por uma do Mundial de sub-20 e mais 11 europeias (duas de sub-21, três de sub-19, quatro de sub-18, uma de sub-16 e uma do Torneio Internacional de Juniores).

Em termos de jogos, o balanço é de nove vitórias, seis empates e 10 derrotas, com 26 golos marcados e 24 sofridos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.