A seleção portuguesa de futebol está na final do Europeu de sub-19, que decorre em Tbilissi, Geórgia. A jovem formação lusa venceu a Holanda por 1-0 nas meias-finais e fica à espera do vencedor do encontro entre a Inglaterra e a República Checa, seleção que Portugal venceu na fase de grupos. O único golo do jogo foi apontado por Gedson Fernandes.

Portugal não fez uma fase de grupos brilhante, tendo somado duas vitórias pela margem mínima (2-1 a República Checa e 1-0 a Geórgia) e um empate com a Suécia. Já a Holanda somou apenas quatro pontos no Grupo, atrás da Inglaterra e à frente de Alemanha e Bulgária (1-1 com Bulgária, 4-1 a Alemanha e derrota por 1-0 com Inglaterra).

Holanda entram bem mas é Portugal quem marca

A formação holandesa entrou melhor no encontro, com mais bola e tentando explorar o lado direito da defensiva Portuguesa. Dilrosun travou uma batalha interessante com Diogo Dalot, com o jovem luso a levar quase sempre a melhor. Numa das vezes que escapou, o extremo holandês obrigou Diogo Costa a uma grande defesa.

Apos poucos os comandados de Hélio Sousa foram tomando conta do jogo, com um futebol, ora apoiado, ora direto, tentando surpreender a defensiva holandesa. O primeiro sinal de perigo dos lusos só apareceu aos oito minutos, num remate de Domingos Quina de fora da área, após bom trabalho de pés sobre dois contrários. Era o sinal do que haveria de acontecer aos 24 minutos. Gedson Fernandes recebeu na esquerda, entrou na área, fletiu para o meio e arriscou o remate. O guarda-redes Justin Biljow deixou a bola passar por entre as mãos. Infelicidade do holandês, sorte do português.

Sempre melhor no jogo, a seleção de sub-19 de Portugal viria a ter mais duas oportunidades até ao final do primeiro tempo. Primeiro por Gedson Fernandes aos 32 minutos, com Biljow a evitar males maiores. Depois por Mésaque aos 45, após canto. Pelo meio, Diogo Costa mostrou bravura ao sair da baliza para evitar o empate de Dilrosun.

No segundo tempo era Portugal quem tinha as melhores oportunidades. João Filipe viu o seu trabalho individual ser travado pelo guarda-redes Biljow aos 47, com os pés. Depois foi Mésaque Dju em duas ocasiões a entrar na área e a tentar servir Rui Pedro, mas sem sucesso.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.