Portugal está pela terceira vez numa final de um Campeonato da Europa de Sub-21 da UEFA. Num jogo muito complicado, em que viu a Espanha ser mais perigosa, sobretudo na segunda parte, enviando mesmo uma bola ao poste, os pupilos de Rui Jorge foram felizes e marcaram, à entrada para os dez minutos finais, o único golo da partida, num cruzamento de Fábio Vieira que desviou num adversário e traiu o guarda-redes espanhol.

Foi o quinto triunfo da seleção portuguesa de sub-21 neste Europeu de 2021 da categoria e, agora, pela frente na final de domingo terá a Alemanha ou a Holanda, que a partir das 20h00 disputam a outra meia-final. Será a terceira vez que Portugal vai jogar uma final da prova, depois das derrotas de 1994 frente à Itália e de 2015 frente à Suécia. Tentará, assim, erguer o troféu pela primeira vez.

Início de jogo dividido e com poucas oportunidades

Frente a uma Espanha de grande qualidade e campeã europeia de sub-21 em título, Rui Jorge apostou em duas alterações em relação ao onze inicial que havia apresentado nos quartos-de-final, ante a Itália: Abdu Conté foi titular no lado esquerdo da defesa, em vez de Tomás Tavares, e Rafael Leão de início no ataque, no lugar que segunda-feira fora de Gonçalo Ramos.

A primeira metade dos primeiros 45 minutos, contudo, foi de estudo e de algum receio por parte das duas equipas, sem grandes oportunidades de golo de parte a parte. A exceção foi um cabeceamento de Brahim Díaz, ligeiramente por cima, para o lado espanhol, e um remate de longe de Vitinha, defendido para canto pelo guarda-redes contrário, para o lado português.

Perigo junto das duas balizas, mas nulo persiste ao intervalo

Aos poucos, porém, o jogo foi abrindo e os lances de perigo começaram a surgir com maior perigo perto de ambas as balizas à medida que o intervalo se foi aproximando.

Rafael Leão, em bom plano nos primeiros 45 minutos, recebeu a bola na esquerda, bateu Mingueza em velocidade e já dentro da grande área, em excelente posição, tentou um cruzamento-remate que Dany Mota não conseguiu desviar para o fundo das redes. E, do outro lado, um mau passe de Gedson deixou as bola nos pés de Brahim Díaz, à entrada da área portuguesa e o espanhol tentou um remate em jeito, que desviou em Diogo Queirós e sai ligeiramente ao lado, para canto. Mas a bola não entrou mesmo nos primeiros 45 minutos.

Espanha entra com tudo na segunda parte

O selecionador espanhol introduziu uma alteração para o arranque da segunda parte e os seus pupilos entraram bem melhor, somando várias ocasiões de golo. Praticamente no primeiro lance, Cucurella trabalhou bem, ganhou espaço e rematou forte, mas viu o seu disparo embater no ferro da baliza à guarda de Diogo Costa.

Pouco depois foi Cuenca a cabecear à figura de Diogo Costa. E, logo a seguir, a Espanha voltou a ameaçar. Villar tocou de cabeça para Brahi Díaz e este tirou da jogada três adversários antes de atirar ligeiramente ao lado. Os espanhóis mandavam no jogo e Juan Garcia e Manu Garcia também ficaram muito perto de marcar.

Rui Jorge faz substituição tripla e Portugal é feliz

A ver Portugal bem longe do que tinha feito até aqui nesta fase final do Europeu de Sub-21, o selecionador luso, Rui Jorge, mexeu na equipa. Lançou Tiago Tomás, Romário Baró e Jota para os lugares de Rafael Leão, Daniel Bragança e Dany Mota.

A toada do encontro, porém, não mudou e a Espanha continuou instalada no meio-campo português sem que os jogadores da 'Equipa das Quinas' conseguissem responder.

Só que, aos poucos, Portugal começou a surgir mais vezes no contra-ataque. Primeiro, Jota não aproveitou um bom passe de Fábio Vieira e, pouco depois, à passagem do minuto 80, o golo acabou mesmo por surgir. Contra a corrente do jogo, o mesmo Fábio Vieira recebeu com categoria um passe à entrada da grande área espanhola, descaído para a direita, tentou o cruzamento para Tiago Tomás e a bola desviou em Cuenca, sobrevoando o guarda-redes da Espanha e só parando no fundo das redes. Estava feito o 1-0 para Portugal.

Até ao final os pupilos de Rui Jorge resistiram ao derradeiro pressing do adversário e seguraram mesmo o triunfo, carimbando assim o passaporte para a final de domingo, a partir das 20h00 (de Portugal continental), em Ljubiliana.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.

Ajude-nos a melhorar o SAPO Desporto