O médio Vítor Ferreira disse hoje esperar que Portugal “esteja à altura” das expectativas criadas em torno da equipa para o embate dos quartos de final do Europeu de futebol de sub-21, com a Itália.

“Felizmente correu bem a primeira fase, conseguimos fazer uma fase de grupos incrível. Sabemos que as expectativas estão altas e que as pessoas depositam grandes esperanças em nós. Esperamos estar à altura dessas expectativas para esse encontro com a Itália, que não vai ser fácil”, afirmou o futebolista, em conferência de imprensa.

O atleta, que representou os ingleses do Wolverhampton esta temporada, por empréstimo do FC Porto, revelou que ainda não analisaram a fundo o adversário, mas considera a Itália “uma equipa difícil”, em que as ausências do defesa Thierry Correia e do avançado Francisco Trincão, devido a covid-19, serão “sentidas”.

“São dois grandes jogadores, mas seriam sentidas com qualquer outro. Temos qualidade para os substituir e fazer na mesma um grande jogo”, sublinhou, acrescentando: “Não podemos fugir muito ao que somos e ao que fazemos melhor”.

A fase de grupos, em que Portugal derrotou Croácia (1-0), Inglaterra (2-0) e Suíça (3-0), decorreu em março e, dois meses volvidos, disputa-se a fase final do Europeu, num formato desfasado devido ao adiamento para este ano do Euro2020, por culpa da pandemia de covid-19, mas Vítor Ferreira espera que este formato “não prejudique”.

“Sabemos que, por força das circunstâncias, tem de ser assim. É como é e temos de jogar assim. Vamos dar uma boa resposta”, assegurou o médio de 21 anos, que entende que, independentemente de Portugal conseguir “atingir a qualidade do futebol” que praticou na fase de grupos, “o mais importante é ganhar à Itália”.

Vítor Ferreira chega à concentração da equipa das ‘quinas’ com mais ritmo competitivo ao serviço do Wolverhampton, onde cumpriu 23 encontros e apontou um golo, mas realçou que encara “da mesma forma” e que “jogar mais ou menos no clube” não o pode afetar, pois lembrou que este “é um contexto diferente”.

“[Na fase de grupos] Vinha de jogar menos vezes, mas consegui fazer os três jogos e senti-me bem, apenas com umas cãibras no primeiro jogo que nunca mais tive. Agora, vai ser mais do mesmo e, se jogar novamente, vou estar bem fisicamente”, disse o jovem atleta, que ambiciona chegar em breve à seleção ‘AA’ de Fernando Santos.

Portugal voltou hoje a treinar, já com as presenças de Florentino Luís (Mónaco) e Rafael Leão (AC Milan), bem como com Abdu Conté e Filipe Soares, ambos do Moreirense, convocados na segunda-feira para colmatar as ausências forçadas.

O central Tiago Djaló, que se sagrou campeão francês pelo Lille no domingo, é o único que ainda está ausente do grupo, que tem o guarda-redes Celton Biai (Vitória de Guimarães) integrado nos trabalhos, apesar de não constar da lista de convocados.

Finalista vencido em 1994 e 2015 e ausente da edição de 2019, Portugal procura um inédito título à oitava presença na fase final de um Europeu de sub-21 e defronta nos ‘quartos’ a Itália, na segunda-feira, às 21:00 (20:00 em Lisboa), no Estádio Stozice, em Ljubljana.

O vencedor dessa partida medirá forças com Espanha ou Croácia em 03 de junho, às 18:00 (17:00 em Lisboa), no Estádio Ljudski vrt, em Maribor, sendo que a final está prevista para 06 de junho, de novo em Ljubljana, às 21:00 (20:00 em Lisboa).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.