O selecionador português de futebol feminino afirmou hoje que Portugal vai lutar pelo apuramento para o Euro2022 “até ao apito final” do segundo jogo do ‘play-off’ com a Rússia, no qual terá de recuperar da desvantagem de 1-0.

“O pensamento é só um. Numa situação de ‘play-off’, é procurar ganhar, voltar a entrar forte, com a mesma competência, a criar boas oportunidades e conseguir concretizá-las, que foi aquilo que nos faltou, principalmente na primeira parte, no Restelo. Vamos procurar fazer o mesmo durante 90 minutos, no jogo aqui”, afirmou Francisco Neto, na antevisão da partida da segunda mão, agendada para terça-feira, em Moscovo.

Em declarações à assessoria de imprensa da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), o técnico assumiu a “frustração” pelo desaire na primeira mão, mas assegurou que a equipa das ‘quinas’ vai entrar em campo com a firme convicção de que conseguirá inverter a situação.

“Fomos sempre melhores, criámos sempre as melhores oportunidades e isso deixa-nos acreditar, e permite-nos acreditar que é possível. Esta equipa tem tido esse registo, de nunca desistir e, até ao apito final, de certeza que iremos lutar por aquilo que são os nossos objetivos”, vincou Francisco Neto.

De resto, o selecionador nacional salientou que os 800 adeptos que estarão nas bancadas da Sapsan Arena poderão ser um fator “motivante” e não inibidor para as jogadoras lusas, naquele que considerou ser “um retorno à normalidade” no futebol, dadas as limitações provocadas pela pandemia de covid-19.

Em Moscovo, Portugal já poderá contar com Jéssica Silva, jogadora do Lyon, que hoje participou na sessão de treino realizada em território russo, depois de ter falhado o primeiro jogo, em Lisboa, devido às restrições de viagens impostas pela crise mundial de saúde pública.

“É mais uma para ajudar, uma opção, com muita vontade, com competência que a Jéssica tem, com as suas características. Dá-nos coisas diferentes. Não estou a dizer que seja melhor ou pior, é diferente das outras, é mais uma avançada que iremos ter ao nosso dispor e vamos ver qual é a melhor situação para a colocarmos”, referiu.

Em sentido inverso, Diana Silva, que alinha nas inglesas do Aston Villa, e Vanessa Marques, jogadora das húngaras do Ferencvaros, que também tinham falhado a primeira mão do ‘play-off’, continuam impedidas de dar o contributo à seleção nacional, precisamente devido às restrições nas ligações aéreas.

Na passada sexta-feira, no Estádio do Restelo, Portugal perdeu por 1-0 na receção à Rússia, com o golo das russas a ser assinada por Nelli Korovkina, aos 51 minutos, na sequência de uma abordagem infeliz da guarda-redes portuguesa Patrícia Morais.

A seleção lusa está pela quarta vez num ‘play-off’ de acesso à fase final e tenta alcançar a segunda participação num Europeu, após a presença inédita no Euro2017, nos Países Baixos, competição em que se ficou pela fase de grupos.

A fase final do Europeu de 2022 realiza-se em Inglaterra, de 06 a 31 de julho, e, além da seleção anfitriã, já se qualificaram Países Baixos, Dinamarca, Noruega, Espanha, Finlândia, Suécia, França, Bélgica, Alemanha, Islândia, Áustria e Itália.

Portugal e Rússia defrontam-se na terça-feira, a partir das 15:00 (em Lisboa), na Sapsan Arena, em Moscovo, num encontro que será dirigido pela francesa Stéphanie Frappart.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.