O depoimento da futebolista Jenni Hermoso no caso em que foi beijado sem consentimento pelo ex-presidente da Federação Espanhola de Futebol (RFEF) Luis Rubiales, foi adiado para 2 de janeiro, anunciou a Audiência Nacional espanhola esta sexta-feira (24).

O juiz encarregue do caso "transferiu para o próximo dia 2 de janeiro, às 10h, o depoimento da jogadora da seleção Jennifer Hermoso, inicialmente prevista para terça-feira, 28 de novembro", indicou o tribunal em comunicado.

A mudança está relacionada com problemas de agenda da advogada de Rubiales, afirmou o órgão judicial.

O juiz Francisco de Jorge abriu uma investigação contra Rubiales pelos crimes de agressão sexual e coação e impôs uma medida cautelar para que ele não possa aproximar-se a menos de 200 metros de Hermoso.

O magistrado investiga o caso que aconteceu no dia 20 de agosto, quando o então presidente da Real Federação Espanhola de Futebol deu a jogadora Jenny Hermoso, sem o consentimento desta, um beijo na boca, durante a entrega das medalhas após a final do Mundial feminino, vencida pela Espanha.

Durante a investigação, aberta após uma denúncia do Ministério Público, o juiz aproveitou o depoimento de Rubiales em setembro passado como investigado.

O ex-dirigente voltou a defender que o beijo foi consentido, segundo fontes judiciais.

A conduta de Rubiales no relvado do estádio de Sydney, captada pelas câmeras, provocou uma onda de indignação internacional e levou à sua suspensão pela FIFA

Apesar de se negar a aceitar a punição inicialmente, o dirigente renunciou à presidência da RFEF no dia 11 de setembro.

Veja o momento

Já no balneário, a jogadora do Pachuca abordou o sucedido num direto na rede social Instagram. "Eh, não gostei nada, eh", disse, entre risos.

Veja o momento

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.