A ‘capitã’ Dolores Silva considera que a seleção portuguesa de futebol feminino tem vindo a acercar-se das maiores potências e vincou que procurarão “o melhor resultado possível” perante a Alemanha, na qualificação para o Mundial.

“Passo a passo, temos vindo a crescer e estamos a aproximar-nos cada vez mais das seleções de topo. O nosso pensamento tem sempre de passar por dar o nosso melhor e focarmo-nos no que trabalhámos durante a preparação para o jogo, sabendo sempre que é um adversário que dispensa apresentações, com jogadoras fortíssimas a nível individual e nos melhores clubes da Europa”, sublinhou Dolores Silva, aos jornalistas.

Contudo, a experiente futebolista, de 30 anos, frisou que, “independentemente disso, é trabalhar e focar na preparação para o jogo”, de maneira a tentarem “fazer o melhor resultado possível”, agregando todas as capacidades, união e sacrifício do plantel luso.

“Acredito sempre na minha equipa, sabendo da consciência de que temos pela frente adversários difíceis, que também lutam por estar nessas competições, mas o foco é em nós, no que podemos produzir enquanto equipa, continuar a trabalhar para potenciar as nossas capacidades e, jogo a jogo, tentar atingir o objetivo”, reforçou a futebolista.

A equipa das ‘quinas’ viaja hoje para território germânico, onde Dolores Silva passou seis anos da sua carreira, a representar o Jena e o Duisburgo, clube no qual se cruzou com a atual ‘capitã’ da seleção alemã, Alexandra Popp, sendo “um momento especial”.

“A Alemanha é a minha segunda casa. Passei lá seis anos muito felizes, com inúmeras aprendizagens e experiências. Defrontar a Alemanha é sempre um momento especial, ainda para mais na Alemanha”, realçou a atual centrocampista do Sporting de Braga.

Em busca da primeira fase final de um Mundial de sempre para Portugal, Dolores Silva não sente pressão por já se encontrar numa fase mais avançada da carreira e não ter muitas mais oportunidades para alcançar esse feito, pensando apenas “no momento”.

“Penso em aproveitar o momento, em tentar ajudar a equipa, enquanto aqui estou, e em poder fazer parte dessa tão bonita história que seria a qualificação pela primeira vez para um Campeonato do Mundo. A nível pessoal, claro que seria muito importante pois, com o passar dos anos, queremos atingir o máximo possível de objetivos”, frisou.

A evolução do futebol feminino também foi destacada por Dolores Silva, que considera que, atualmente, existe “muito talento, cada vez mais oportunidades e as mais jovens já estão muito mais preparadas”, olhando para o crescimento “com muita felicidade”.

“Olhar agora para o futebol feminino cada vez me deixa mais feliz. A evolução tem sido permanente e não vai ficar por aqui. Ver esta geração a chegar é sempre um motivo de realização e de que o futebol feminino está a tomar os rumos certos”, disse a jogadora.

Portugal defronta a Alemanha no sábado, em Bielefeld, pelas 15:10 (horas de Lisboa), e recebe a Bulgária quatro dias depois, em 12 de abril, no Estádio Cidade de Barcelos.

A quatro jornadas do final do apuramento, a Alemanha lidera o grupo H, com 18 pontos, seguida de Portugal, com 13, da Sérvia, com 12, e da Turquia com sete. Israel e Bulgária seguem em quinto, sem qualquer ponto e menos um jogo disputado. Apuram-se para a fase final do Mundial os primeiros classificados e os três melhores segundos.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.