As representantes de Sporting e Benfica concordaram hoje que a Supertaça feminina de futebol vai ser decidida nos detalhes, na sexta-feira, no Estádio Municipal de Leiria.

Numa conferência de imprensa conjunta, a avançada do Sporting Ana Borges afirmou que “o que vai fazer a diferença são os detalhes”.

“Sabemos o potencial que tem o Benfica e também o nosso. Temos de nos focar em nós. No entanto, é uma final e numa final qualquer equipa quer ganhar. Não é mais um jogo. Não há uma segunda oportunidade, mas temos a plena consciência de que vai ser um jogo muito difícil para ambas as equipas”, acrescentou a jogadora ‘leonina’.

Ana Borges destacou ainda que o “Benfica tem jogadoras que individualmente podem fazer a diferença”, embora admita que o foco não pode ser “uma ou duas”, mas no “todo que é a equipa do Benfica”.

Também Sílvia Rebelo, defesa do Benfica, disse acreditar que “o jogo se vai resolver através de detalhes”.

“As equipas já se conhecem. No entanto, é uma nova temporada, há novas dinâmicas trabalhadas e a equipa que entrar melhor, que tiver a capacidade de pausar o jogo e fazer o seu jogo é aquela que vai levar de vencido este jogo”, adiantou.

Segundo a jogadora, o “Sporting é uma grande equipa no seu todo, mas a linha avançada tem muita qualidade e pode provocar grandes dificuldades a qualquer linha defensiva”.

“A Silvia é uma jogadora muito experiente. Se calhar posso ter velocidade, mas ela sabe onde se posicionar”, disse confrontada com a forma como poderá ultrapassar Sílvia Rebelo. Se calhar, é preciso fazê-la rir, não sei”, brincou ainda Ana Borges.

Em resposta, Sílvia disse que a “Borges é uma jogadora muito rápida, por isso, o facto de às vezes estar bem posicionada, é uma mais-valia”.

“Mas, a partir do momento em que ela fosse embalada, teria que recorrer à falta, agarrá-la… sei lá”, admitiu a jogara ‘encarnada’.

O Sporting é detentor da Supertaça, Mariana Cabral, treinadora das ‘leoas’ afirmou que conta com as “mesmas armas” que lhe deram a vitória na época passada.

“Temos uma grande equipa que acredita muito em si própria. São jogadoras de muita qualidade que trabalham muito, e que mesmo perante grandes adversidades fazem muita coisa. Temos um coletivo que evolui e que aumenta a sua qualidade, porque cada uma dá muito de si às outras”, disse ainda.

Para a técnica do Sporting, “não há favoritos numa final porque é um jogo e num jogo tudo pode acontecer”.

“Em qualquer altura pode haver um acontecimento que mude o rumo do jogo. O que é preciso é ter estabilidade emocional, foco no que podemos controlar e acreditar muito em nós”, assumiu.

Já a treinadora do Benfica, Filipa Patão, destacou a “capacidade individual” que as suas jogadoras têm para “resolver problemas”.

“Procuramos que a equipa consiga ser o mais compacta e coesa possível, em todos os momentos do jogo, mas também acabamos de dar muita liberdade à criatividade das jogadoras”, disse, ao explicar que não pretende destoar do objetivo que tem para o coletivo, “mas permitindo que estas nossas peças individualmente consigam fazer a diferença”.

Segundo Filipa Patão, as armas que irá utilizar para vencer o Sporting são as mesmas que utiliza contra qualquer outro adversário: “as jogadoras, individualmente, conseguirem dar um bom cunho em prol do coletivo”.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.