O Panathinaikos decidiu hoje colocar centenas de balões verdes e brancos no lugar dos adeptos que supostamente deviam encher uma das bancadas do seu estádio, interdita até ao fim da época por mau comportamento dos seus adeptos.

No desafio da Taça da Grécia, frente ao modesto Atromitos, o clube ateniense, onde joga o português Zeca, protestou contra a sanção do Ministério do Desporto de fechar as portas 13 e 14, onde se situam os adeptos mais problemáticos.

Em causa estão as sanções pela violência verificada no dérbi com o Olympiakos, treinado por Marco Silva, a 21 de novembro, quando os adeptos do Panathinaikos se envolveram em confrontos com a polícia dentro e fora do estádio, levando à anulação do desafio, mesmo antes de principiar.

A equipa visitante ficou retida três horas no estádio Apostolos Nikolaidis.

Catorze adeptos foram detidos nos incidentes que feriram três polícias, um deles em estado grave. Os prevaricadores arremessaram pedras e material pirotécnico, com as autoridades a responder com gás lacrimogénio.

O Panathinaikos viu o seu estádio interdito por quatro desafios e foi multado em 280.000 euros, além de lhe terem sido subtraídos três pontos.

Atualmente, cumpridas 19 jornadas, o Panathinaikos é terceiro do campeonato, com 35 pontos, a 20 do rival Olympiakos.

O vice-presidente do Olympiakos Savvas Theodoridis contou que o avançado islandês Alfred Finnbogason ficou com a mão queimada e que o médio sérvio Luka Milivojevic também foi atingido por material pirotécnico.

O Panathinaikos é um dos grandes clubes da Grécia, tendo ganho 20 campeonatos e 18 taças.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.