Os organizadores da liga grega disseram que os jogos do fim de semana vão ser remarcados depois de não conseguirem árbitros para as partidas, uma vez que estes decidiram no início da semana avançar com uma greve de modo a que sejam garantidas as questões de segurança.

Esta decisão seguiu-se a uma série de incidentes violentos relacionados com o desporto, o mais recente na noite de quinta-feira, durante um jogo de voleibol entre o Panathinaikos e Olympiakos, que originou cerca de 400 detidos e um polícia com ferimentos graves.

“Os autores destes crimes horrendos não têm nada a ver com o desporto. ... São criminosos comuns que ameaçam e às vezes ceifam vidas humanas e destroem propriedades”, disse o porta-voz do governo Pavlos Marinakis.

Nos confrontos, os adeptos lançaram pedras e tochas, entre outros objetos, contra a polícia, com um agente de 31 anos a ser atingido na zona da coxa, o que lhe provocou danos nas artérias e perda de sangue, causando uma paragem cardíaca.

Entre outros casos registados, no passado domingo o jogo entre Olympiakos e Volos foi interrompido devido à violência causada pelos adeptos.

“Este ataque não deve e não ficará impune. É uma questão de fazer cumprir a lei e a justiça. A polícia grega há muito tempo – tal como toda a nossa sociedade – tem pago um preço elevado pela violência dos adeptos”, disse Giannis Oikonomou, ministro da Administração Interna.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.