O presidente da FIFA, Gianni Infantino, disse hoje que a comunidade internacional deve fazer mais para ajudar atletas afegãos a encontrar refúgio noutros países, após a tomada de poder pelos talibã naquele país asiático.

Mais de 150 atletas, incluindo 50 futebolistas, foram resgatados em outubro, viajando para o Qatar com a família, num esforço em coordenação com a FIFA, mas há ainda centenas de outros atletas a pedir para deixar o país.

“Peço realmente a todos os governos na Europa e no resto do mundo que nos ajudem a arranjar uma nova casa” para os que já foram resgatados, disse hoje Infantino, numa entrevista concedida à agência noticiosa France-Presse.

Pedindo “ação concreta” e mais do que “apenas conversas sobre solidariedade”, o presidente da FIFA pediu à comunidade internacional que apoie aqueles afetados pela mudança de regime.

Infantino lidera o organismo de cúpula do futebol mundial, que declarou, em 2020, receitas de 223,3 milhões de euros.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.