O primeiro (grande) confronto de palavras entre o treinador português e o catalão começou a 27 de Abril de 2011, depois de o encontro entre as duas equipas no Santiago Bernabéu, referente à primeira mão das meias-finais da Liga dos Campeões, onde a formação de Madrid perdeu por 0-2.

Com discurso derrotista, José Mourinho lançou estas declarações: «Ganhei duas Champions com duas equipas que não eram o Barcelona. Com o FC Porto, de um país que normalmente não ganha uma Champions, e outra com o Inter, que não ganhava há 50 anos e não era candidato. Ganhámos com trabalho, orgulho, esforço e suor». Mas não se ficou por aqui: «Pep Guardiola é um treinador fantástico de futebol, mas ganhou uma Champions que eu teria vergonha, com o escândalo de Stamford Bridge. E este ano, se ganhar, será com o escândalo do Bernabéu. Eu teria vergonha de ganhar uma Champions assim. Sim, já estamos eliminados. Algumas vezes dá-me asco viver neste mundo, mas é o nosso mundo».

Antes de iniciar este discurso polémico, o treinador português imortalizou o célebre: «Porquê?», quatro vezes.

Na véspera deste desafio, na sala de imprensa do Santiago Bernabéu, Mourinho já tinha incendiado os ânimos. O treinador português acusou Guardiola de ter criado uma nova classe de técnicos, a dos que criticam as decisões corretas dos árbitros, referindo-se ao facto de o treinador dos "blaugrana" ter criticado o golo anulado aos catalães no jogo da Taça do Rei, que o Real Madrid já tinha vencido na altura.

Logo de seguida, o treinador dos catalães respondeu à letra, como nunca o tínhamos visto: «Vou falar pela primeira vez, porque ele mencionou o meu nome. Sempre que o fizer, terá a minha resposta. Vou tratá-lo por tu porque ele me tratou por Pep. José, qual é a tua câmara? Amanhã, às 19h45 horas, temos encontro no campo. Fora ganhou ele, normalmente é ele quem ganha porque a história assim o diz. Dá-lhe gozo esta Liga dos Campeões particular [referindo-se ao jogo de palavras] fora das quatro linhas, por isso, que a desfrute e leve-a para casa. Nós conquistamos coisas pequenas, que causam a admiração do mundo. Ele é o chefe, "el puto amo".

A 17 de Agosto de 2011, a"guerra" entre Mourinho e Guardiola foi mais longe, acabando por "cegar" algumas figuras próximas aos dois treinadores. Depois do encontro da segunda mão da Supertaça de Espanha, onde o Real Madrid acabou novamente derrotado pelo Barcelona, José Mourinho colocou o dedo no olho de Tito Vilanova e de seguida, em conferência de imprensa, referiu-se ao técnico adjunto de Guardiola como "Pito". A 22 de Agosto, o canal espanhol "TVE" mostrou imagens onde Vilanova respondeu à agressão com uma palmada na cabeça do técnico português.

Nas conferências de ontem, terça-feira, de antevisão ao clássico da primeira mão dos quartos de final da Taça do Rei de Espanha, Mourinho focou o seu discurso em defesa de Cristiano Ronaldo enquanto Pep Guardiola repetiu, propositadamente ou não, o famoso «Porquê?» de Mourinho, colocando logo de seguida as mãos na cabeça, dizendo: «Que palavra fui eu dizer!».

Esta quarta-feira, o Real Madrid recebe o Barcelona em desafio da primeira mão dos quartos de final da Taça do Rei de Espanha. Este será o primeiro embate de 2012 entre os grandes de Espanha. O desafio desta noite está agendado para as 21h00 portuguesas.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.