É o terceiro caso de violência em que Rúben Semedo se vê envolvido em quatro meses. O ex-jogador do Sporting, agora ao serviço do Villarreal, vai ser ouvido por um juiz na quarta ou quinta-feira depois de ter sido detido por supostos delitos de agressão e sequestro de uma pessoa. Segundo fonte da Guardia Civil, ficará na prisão até que isso aconteça.

De acordo com a imprensa local, a pessoa que apresentou queixa no passado dia 12 de fevereiro diz ter sido amarrada, agredida e mantida refém por Semedo e outros dois homens na moradia do jogador. O queixoso apresentava hematomas em várias partes do corpo e acusou ainda um dos agressores de ter disparado uma arma para o assustar.

É já a terceira vez que o ex-jogador do Sporting se envolve em casos de violência no país vizinho, que estão a ser investigados pela polícia espanhola. A 26 de janeiro, o jornal espanhol 'Las Provincias' noticiou que Rúben Semedo estava a ser investigado pela polícia espanhola por alegado envolvimento em desacatos com uma arma de fogo num bar de alterne em Valência, com os factos a remeterem a novembro de 2016.

O jogador foi detido pelas autoridades, mas acabou por ser libertado horas depois, após prestar declarações. A suposta pistola que o futebolista teria usado "não pôde ser localizada", segundo fontes policiais. No mesmo dia, o Villarreal confirmou a investigação a Semedo.

A 27 de janeiro, Catió Baldé, empresário do jogador, negou o envolvimento do central. "Essa notícia é falsa, no que toca ao Rúben. Ele não usa armas e muito menos apontou uma a alguém. É um rapaz educado e o clube já soube deste caso em novembro mas nunca veio apoiá-lo publicamente. O que posso dizer é que o Rúben estava no sítio errado à hora errada e aproveitaram o nome dele, pelo facto de ser uma figura pública. Houve pessoas do círculo do Rúben com ele nesse dia. Se estiveram envolvidas? Isso não sei bem", disse o empresário ao jornal Record.

Os problemas do ex-Sporting, contudo, não ficaram por aqui. Menos de uma semana depois, a 30 de janeiro, Rúben Semedo foi acusado de atingir um jovem com uma garrafa na cabeça, à saída de uma discoteca de Valência.

Segundo o jornal espanhol Marca, a suposta agressão aconteceu ainda antes do incidente que originou a primeira acusação, a 29 de outubro, quando o português terá chamado a vítima ao parque de estacionamento, alegadamente para lhe oferecer uma camisola do Villarreal.

Terá sido a caminho da viatura do jogador que Semedo tirou do bolso a garrafa de vidro com que atingiu a cabeça do queixoso, provocando-lhe um golpe. O queixoso ainda chamou a polícia, mas Rúben Semedo já tinha deixado o local com os amigos. Foi o segundo caso de violência em que o futebolista esteve envolvido.

Rúben Semedo, de 23 anos, deixou o Sporting para rumar ao Villarreal onde realizou cinco jogos antes de se lesionar com gravidade. Entretanto, o emblema espanhol anunciou a abertura de um inquérito para investigar as ações do jogador, na sequência da detenção do português esta terça-feira.

De acordo com um comunicado publicado no seu site, o clube espanhol assegurou que vai tomar as "medidas disciplinares oportunas", aplicadas com base na gravidade das ocorrências.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.