O jornal espanhol 'AS' revelou este sábado o plano de desconfinamento para o desporto espanhol, um plano que se divide em quatro fases, cuja primeira começa já na próxima semana.

Na fase 1, que se inicia no próximo dia 4 de maio, os treinos individuais são permitidos para os atletas profissionais, sendo que terão de ser realizados ao ar livre, mantendo uma distância mínima de dois metros na realização de corridas. A utilização de luvas é obrigatória e os atletas terão de realizar um exame médico antes do regresso. Se o atleta tiver algum sintoma compatível com COVID-19, realizará um teste, se for positivo, fica fora dos treinos. Os treinadores ficam de fora, tendo de dar as indicações para os treinos por via não-presencial.

Os centros de treino terão de ter controlo de entradas, sistemas de segurança e de medição de temperatura. Além disso todos as superfícies de contato (como maçanetas de portas) terão de ser desinfetados duas vezes por dia.

Na fase 2 começam os treinos em grupos, sendo recomendado que os jogadores sejam concentrados (como se fosse em estágio) e durmam em quartos individuais. A equipa técnica fica obrigada a usar equipamento individual de segurança. A capacidade dos centros de treino fica reduzida a 50%.

Além disso, a presença da comunicação social nas áreas de treino não será permitida, as medidas de acesso aos centros de treino serão reforçadas e o protocolo médico e sanitário será mantido, enquanto os serviços de fisioterapia serão limitados ao essencial.

Na fase 3, os ginásios voltam a ser autorizados (com capacidade máxima de 50% ) e os treinos em grupo podem ter até 14 pessoas. A presença de pessoal de apoio ao treino passa a ser autorizada.

As fases um, dois e três vão durar, no mínimo, três a quatro semanas.

A fase 4 é a fase do regresso das competições que deverá ocorrer "quando as autoridades sanitárias e desportivas o decidirem", sendo que serão sempre à porta fechada, até que surja uma vacina.

Os locais de treino vêem a sua capacidade elevada até 50% da capacidade máxima. Nos vestuários a distância de segurança deve de ser de três, o que inclui os duches.

O período entre jornadas deverá ser decidido por médicos, tendo em conta as condições de humidade e calor típicas do verão. As outras modalidades terão limitações nas partidas que deverão ocorrer em "grupos limitados" tal como nas chegadas.

A regra geral é que todas as competições vão ser realizadas à porta fechada e encurtadas, com o período mínimo entre o final da fase três e o início das competições a ser de uma semana.

Portugal juntou-se a Alemanha, Inglaterra, Espanha e Itália entre os países que ensaiam o regresso dos campeonatos nacionais de futebol, ao contrário do ocorrido em França e nos Países Baixos, que cancelaram as competições.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou quase 239 mil mortos e infetou mais de 3,3 milhões de pessoas em 195 países e territórios. Mais de um milhão de doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 1.023 pessoas das 25.190 confirmadas como infetadas, e há 1.671 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

*Artigo atualizado às 16h01
** Com Lusa

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.