O Espanyol de Barcelona acredita que é seguro ter público no seu estádio ainda esta época. O emblema catalão elaborou um protocolo que enviou à Generalitat da Catalunha (polícia local), ao Governo da região, ao Conselho Superior dos Desportos de Espanha e à La Liga onde explica que, "com as medidas propostas, é absolutamente seguro assistir aos jogos no estádio".

De acordo com o protocolo, é possível ter adeptos a ocupar um terço da capacidade do Estádio Cornellà-El Prat, ou seja, 13 mil adeptos por jogo. Os 'pajaritos' propõe a rotação dos adeptos nos jogos: quem assistir um encontro, dará lugar outro no jogo seguinte. Esta medida não coloca em causa as verbas que serão devolvidos aos adeptos que têm bilhete de época e que não poderão ver todos os jogos da Liga Espanhola até ao final da época já que os mesmos serão à porta fechada.

"A ausência de público nos estádios não respeita a integridade das competições", diz o Espanyol, para quem jogar sem público "é uma clara desvantagem competitiva".

No comunicado, o emblema da Catalunha explica que o futebol não pode ficar à margem do regresso controlado da vida após o levantamento de algumas medidas de isolamento por parte do governo de Madrid.

O Espanyol recebe no domingo o Real Madrid. Até ao final da Liga Espanhola, recebe o Leganès, Eibar e Celta de Vigo. Os dois últimos são os seus rivais na luta pela permanência.

O Espanyol, onde joga o português, o ex-Benfica Raul de Tomas e Facundo Ferreyra, emprestado pelos 'encarnados', está no penúltimo lugar de La Liga, com 24 pontos, mais um que o Leganês e menos um que o Maiorca, o outro emblema em zona de descida.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.