O presidente do FC Barcelona revelou hoje que o futebolista francês Ousmane Dembélé recusou duas boas ofertas para deixar o clube no ‘mercado de inverno’.

“Fizemos uma boa oferta para ele renovar o contrato e ficar, mas tornou-se um problema financeiro porque ele queria mais. Depois mostrámos-lhe duas boas ofertas para ele jogar noutro clube nestes últimos seis meses da época, a última de um clube inglês, e ele não aceitou e preferiu ficar aqui. Nós ficámos surpreendidos”, confessou Joan Laporta.

O contrato de Dembélé termina em junho e o futebolista poderá sair de graça, razão pela qual o FC Barcelona procurou em vão renovar-lhe o vínculo com o clube durante seis meses de negociações com os seus agentes, que recusaram, sistematicamente, várias propostas do clube catalão.

Recorde-se que o FC Barcelona bateu o recorde de transferências na história do clube ao contratar o então jovem atacante dos alemães do Borussia Dortmund em 2017, por 105 milhões de euros.

“É difícil de entender. Achamos que ele já pode ter um acordo com outro clube. Isso é o que seu agente insinuou. A permanência dele aqui não é boa nem para ele nem para o clube”, disse Laporta, sem esclarecer, todavia, se o jogador será reintegrado no plantel dirigido por Xavi Hernández, limitando-se a acrescentar que decidirá tendo em consideração o melhor interesse do clube.

Em 20 de janeiro, Dembelé, que foi convidado pelo FC Barcelona a deixar imediatamente o clube caso não pretendesse renovar contrato, recorreu à rede social Instagram para garantir que não iria ceder a chantagens.

“Não sou um homem de esquemas, e muito menos um homem que tenha o hábito de ceder a chantagem”, lançou o internacional gaulês, depois de, nesse mesmo dia, o diretor para o futebol do ‘Barça’, Mateu Alemany, ter dito que os catalães instaram Dembelé a “sair imediatamente” do clube.

Hoje, o presidente do clube catalão confessou que a saída de Dembélé abriria mais espaço no teto salarial e teria tornado muito mais fácil a contratação, ainda não oficializada, de Pierre-Emerick Aubameyang.

Sobre a aquisição do avançado gabonês, que alinhava nos ingleses do Arsenal, Laporta revelou que os documentos necessários para selar o acordo com o atacante do Gabão chegaram um minuto antes do prazo da meia-noite de segunda-feira.

Os documentos enviados pelo Arsenal permitiram que o jogador se tornasse um jogador livre e deram tempo extra ao FC Barcelona para oficializar o acordo, o que deve acontecer nos próximos dias, disse Laporta.

Entretanto, o Arsenal divulgou hoje um comunicado, no qual informou que Aubameyang deixou o clube por “acordo mútuo” e desejou-lhe sorte, agradecendo a sua contribuição para o clube, onde marcou 92 golos em 162 jogos em todas as competições.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.