Em entrevista ao site oficial da FIFA, o técnico luso disse que Cristiano Ronaldo é, de forma indiscutível, “um dos dois melhores jogadores do Mundo". "Uns dias é melhor do que Leo Messi, outros dias é a vez do argentino, mas ambos são de uma classe à parte”, afirmou.

“Há muitas coisas que se dizem sobre Ronaldo que simplesmente não são verdadeiras. Ele é um grande profissional que vive e respira futebol de modo a o executar o melhor que puder”, defendeu José Mourinho.

Questionado sobre o segredo para incutir trabalho de equipa a um plantel cheio de ‘estrelas’, Mourinho disse que a resposta era fácil: “os jogadores ganham jogos, mas as equipas é que ganham troféus”.

O treinador, cuja equipa lidera o campeonato espanhol em vésperas de um escaldante confronto com o Barcelona, considera que o Real Madrid “está a jogar bem”, mas que “ainda há muito caminho a percorrer”.

Para melhorar os resultados do Real Madrid, José Mourinho espera que o brasileiro Kaká, a recuperar de uma lesão, seja o ‘reforço’ de Janeiro. “Não há jogadores do seu calibre no mercado”, disse.

O treinador abordou ainda o futuro papel do francês Zinedine Zidane no clube ‘merengue’. “Eu quero que ele trabalhe junto comigo e com o plantel, reacendendo o papel de liderança que ele teve como jogador”, explicou.

“Um génio como Zidane necessita de estar envolvido no futebol e de trabalhar para o Real Madrid. É por isso que sugeri ao presidente Florentino Perez assinar com ele, para aproveitar o máximo os seus conhecimentos”, defende.

Em jeito de balanço dos primeiros meses no Real Madrid, José Mourinho destacou “o desempenho da equipa como um todo, os jogadores menos mediáticos, o carisma de Iker Casillas e o pendular Xabi Alonso.

“Ele é um jogador ao estilo de Xavi [Barcelona] e um homem que, tenho a certeza, poderá vir a ser um grande treinador, quando pendurar as chuteiras, assim ele o deseje.

Lembra-me Pep Guardiola enquanto jogador, quando ele era como um treinador dentro do campo”, disse.

José Mourinho destacou ainda o argentino Angel Di Maria, que “apesar da sua juventude, e chegar ao Real Madrid vindo do Benfica, que está num campeonato muito mais fraco, se adaptou perfeitamente”.

“Di Maria foi a surpresa mais agradável que tive, desde a sua chegada, bem como o profissionalismo e ética de trabalho de jogadores como Raul Albiol, Álvaro Arbeloa e Esteban] Granero, que lutam duro pela titularidade”, referiu.

Mourinho abordou ainda as diferentes culturas futebolísticas em Portugal, Inglaterra, Itália e Espanha e revelou que o segredo do sucesso nos vários campeonatos consiste na “adaptação das suas características”.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.