José Mourinho recordou um episódio curioso com o malogrado Bobby Robson, quando os dois coincidiram no Barcelona. Em entrevista ao Canal 11 da FPF, o treinador português sublinhou que teve a sorte de trabalhar sempre com os melhores profissionais.

"No Barcelona, cruzei-me com os melhores. O Bobby Robson, que foi muito importante para mim, sabia onde estavam os melhores jogadores do Mundo: Figo, Ronaldo... Stoichkov. Ganhámos a Taça das Taças, a Taça do Rei, só perdemos a liga e porque perdemos seis pontos com o Alicante. Fiquei tão irritado quando perdemos aí e Robson só me disse: 'Não fiques assim. Se pensares na alegria que vai naquele balneário [do Alicante]'", recordou o 'Special One'.

Na entrevista ao Canal 11, o técnico, que se encontra sem clube, falou das diferenças de agora para quando começou a sua carreira de treinador.

"Hoje em dia, muito miúdo quer ser treinador de futebol. Na minha altura, sonhávamos em ser jogadores e chegar ao mais alto nível, mas agora é diferente. Mas também noto grandes diferenças para o futebol num passado recente e o que se vê hoje em dia. É a primeira vez que tenho estado mais tempo em casa e tenho notado logo uma coisa. Há uma exagerada complexidade em esconder as debilidades das equipas. Não há tanta evolução e procura do conhecimento. Tenho as minhas dúvidas de que nos próximos anos haja tanta evolução como nestes últimos anos", analisou.

Depois de um grande trabalho na União de Leiria, José Mourinho foi para o FC Porto, clube que o projetou a nível internacional, com a conquista da Taça UEFA e da Liga dos Campeões.

"Foi uma concentração de fatores aquele sucesso. Se alguém tiver dúvidas do que são princípios de jogo, vão ver esse FC Porto", convidou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.