Sandro Rosell afirmou que nunca teria sido preso se não tivesse sido presidente do Barcelona.

O antigo dirigente recorda a perseguição de que foi alvo por parte da autoridade tributária espanhola.

"Não teria ido para a cadeira se não tivesse sido presidente do Barça. Disso não tenho a menor dúvida", atirou em entrevista ao Mundo Deportivo, proseguindo.

"Nem tão pouco a minha atividade como empresário teria sido investigado, nem teria havido uma perseguição fiscal tão agressiva como continuo a ter. Foram 72 buscas da Autoridade Tributária desde que sai da presidência."

O dirigente esteve na prisão durante 643 dias acusado por crimes económicos, mas acabou por ser absolvido.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.