Diego Simeone fez, esta sexta-feira, a antevisão ao encontro de sábado com o Barcelona e não colocou de parte a possibilidade de apostar num tridente ofensivo de luxo, composto por João Félix, Antoine Griezmann e Luis Suárez, na frente de ataque frente aos catalães.

"Gostei do que já vi. Acho que são absolutamente compatíveis. Há variantes, porque paralelamente podíamos ter Correa, Lemar e Matheus Cunha. Isso deixa-me entusiasmado. Poder ter este tipo de jogadores, em que o mais difícil é fazer a gestão entre todos. Oxalá possamos continuar assim durante o resto da temporada", referiu.

Ainda na antevisão ao encontro, que tem início marcado para as 20h00 de sábado no Wanda Metropolitano, Simeone foi questionado também sobre o momento que se vive no Barça e a posição complicada em que Ronald Koeman se encontra no comando técnico dos catalães.

"A situação de Koeman parece-me desconfortável. Imagino que todos os seus colegas o respeitem como treinador e espero que recupere disto. Não sou ninguém para avaliar isso. Tenho muito respeito por Koeman, demonstrou personalidade e desejo-lhe o melhor. Quanto ao momento deles, estamos demasiado ocupados connosco e não nos preocupamos com as outras equipas", referiu Simeone, antes de frisar que, apesar de já não ter Messi, o Barcelona continua a ser uma equipa repleta de talentos.

"Vocês deixam estas críticas e estas opiniões, mas nunca jogaram contra o Barcelona sem Messi. Amanhã veremos o que vai acontecer. Olho sempre para os plantéis e eles têm um com grandes jogadores: Sergi Roberto, Piqué, Dembélé, Busquets, De Jong, Pedri, Ansu Fati, Memphis... são futebolistas gigantescos", lembrou.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.