O Valência venceu na visita ao Athletic graças a um golo de Cheryshev aos 27 minutos. E é ai que uma polémica que envolve a Real Federação Espanhola, a empresa responsável pelo VAR e a empresa responsável pela transmissão dos jogos começa.

Após o golo dos visitantes é transmitida uma imagem com uma linha de fora de jogo que coloca Maxi Gomez, do Valência, adiantado face ao último homem do Athletic quando recebe o passe de Rodrigo Moreno, no lance do tento de Cheryshev.

Mas, mais tarde, as mesmas imagens são transmitidas, desta vez com uma linha que já coloca Gomez em jogo.

A dúvida fica no ar: afinal que linha é a correta? E porque é que houve duas linhas diferentes?

Comecemos pela versão da Mediapro, a empresa responsável pela transmissão dos jogos.

Em comunicado, a Mediapro afirma que só recebeu as imagens ‘oficiais’ do VAR 40 minutos depois do golo e que por isso teve de avançar com a sua obrigação de repetir a jogada do golo de Cheryshev de todos os ângulos, com linha colocada pela produção.

Além disso, a empresa afirma que durante a primeira repetição do lance, em momento algum as imagens foram rotuladas como provenientes do VAR. As imagens do VAR, com a devida identificação, foram transmitidas quando chegaram aos minutos 55:26 e 62:50 com a clara indicação 'VAR'.

A dizer algo bastante diferente surge a Hawk-Eye, a empresa responsável pelo VAR no futebol espanhol.

Antonio Gatto, em declarações reproduzidas pelo jornal espanhol ‘Marca’, afirma que a imagem com a linha correta foi enviada “em poucos segundos”, acrescentando ainda que a linha de fora de jogo colocada nessas imagens são da responsabilidade dos vídeo-árbitros não da empresa.

Por último aparece a Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF), que categoriza o comportamento da Mediapro, ao colocar uma linha de fora de jogo que não teve origem no VAR, como uma “potencial manipulação”.

“Estas imagens não têm qualquer tipo de rigor técnico e oferecem uma visão distorcida da jogada. Uma manobra que cria alarme social, bem como à perda de confiança no atual fornecedor do VAR e na capacidade dos árbitros espanhóis”, afirma a RFEF em comunicado.

A Federação Espanhola anunciou ainda que irá denunciar a Mediapro, esperando que a empresa seja punida pelas suas ações.

Resumindo, o golo do Valência foi validado pelo VAR e foi 'limpo'. Esta polémica é que parece que não vai ficar limpa nos próximos tempos...

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.