Declarações à 'flash interview' da RTP após a partida Portugal-Itália, do Grupo 3 da Liga A da Liga das Nações, nova competição da UEFA, que a seleção portuguesa de futebol venceu por 1-0:

Análise do jogo: "A dificuldade foi do nível que esperava. Sabia o valor da minha equipa e da equipa italiana. Sabíamos que se puséssemos velocidade iam ter alguma dificuldade. Itália tentou surpreender com dois avançados. Estivemos bem na primeira parte, com exceção de quando abrandámos o ritmo nos últimos 10 minutos, isso fez com que Itália crescesse. Ao intervalo o resultado era um pouco injusto, disse aos jogadores que não podíamos baixar o ritmo. Disse para manterem o ritmo na segunda parte, para melhorarem o que havia para melhorar. Estivemos bem, na parte final voltámos ao registo dos últimos 10 minutos da primeira parte. Mas é normal, jogámos contra uma equipa italiana muito forte. A equipa esteve bem. Isso faz parte do jogo e do crescimento".

Ritmo de jogo: "Não é fácil jogar sempre num ritmo elevado, mas a jogar para trás torna-se mais difícil do que jogando para a frente"

Objetivo na Liga das Nações: "É um torneio muito difícil, agora queremos pensar na Polónia. Se Portugal vai ganhar? Por agora queremos ir à final four".

Sobre o meio-campo e a saída de William: "Eu disse ao Pizzi e ao William que estávamos a fazer um bom jogo e estava a faltar ao William transportar a bola para a área do adversário, que é algo que ele faz muito bem. Demorou um pouco ver quem é que ia substituir porque o Bernardo, como o William, também tinha um problema".

Entrada na Liga das Nações: "Pé direito? Portugal entrou com os dois pés, porque só com um pode cair".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.