O Braga despediu-se hoje da Liga dos Campeões com uma derrota, por 2-0, diante do Shakhtar Donetsk, mas sai de consciência tranquila com a boa prova que fez na sua estreia a este nível.

Era preciso quase um milagre para os minhotos seguirem em frente para os oitavos-de-final da 'liga milionária' e a verdade é que até esteve perto de acontecer na segunda parte, quando o Arsenal se deixou empatar pelo Partizan e o resultado na Ucrânia ainda marcava 0-0, com os arsenalistas a pressionarem em busca do golo.

Todavia, o golo de Walcott em Londres, dando vantagem (2-1) ao Arsenal foi o princípio do fim do Braga.

A postura corajosa e combativa da equipa de Domingos Paciência ao longo de toda a partida pecou apenas na dificuldade de levar perigo à baliza do Shakhtar. Quando o técnico arsenalista arriscou tudo na vitória, chegou o golo ucraniano. Rat aproveitou o espaço deixado livre pela saída de Alan minutos antes e fez o 1-0 aos 78', num remate colocado de fora da área e sem hipóteses para o guarda-redes Artur.

Se ganhar por 4-0 a uma equipa que não perdia em casa há 52 jogos já era quase impossível, dar a volta à desvantagem era algo que os jogadores do Braga não podiam contrariar.

Cinco minutos depois, o mesmo Rat foge pelo flanco esquerdo e cruza para o golo de Luiz Adriano, sentenciando o resultado em 2-0.

O Shakhtar venceu assim o grupo com 15 pontos, enquanto o Arsenal foi segundo com 12 pontos e o Braga quedou-se em terceiro (nove pontos). O Partizan Belgrado não foi além do último posto, sem qualquer ponto. Foi um adeus meritório da equipa portuguesa à Champions, segue-se a Liga Europa, juntando-se a FC Porto, Sporting e Benfica.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.