O Benfica está nos quartos-de-final da Liga dos Campeões pela quarta vez. Os "encarnados" bateram na Rússia o Zenit por 2-1, depois de terem vencido na primeira-mão por 1-0. Hulk fez o tento dos russos, o seu sétimo golo ao Benfica, Gaitán empatou, numa recarga a remate de Jiménez e Talisca, já nos descontos, fez o 2-1. Com esta passagem a turma da Luz encaixa 28 milhões de euros nesta edição da liga milionária.

Rui Vitória teve de fazer várias mexidas na defesa, fazendo baixar Samaris para fazer dupla com Lindelof. O recuo do grego abriu uma vaga no meio-campo para Fejsa. Nélson Semedo voltou ao onze, para o lugar do castigado André Almeida. Já do lado do Zenit, Villas-Boas não pode contar com os castigados Criscito e Javi Garcia e com o lesionado Garay.

Mesmo com uma equipa remendada na defesa, o Benfica conseguiu dividir o jogo com o campeão russo, criando algumas oportunidades. O primeiro tempo terminou empatado a zero bolas mas oportunidades não faltaram. O Benfica criou a primeira situação de perigo aos cinco minutos, num livre apontado por Jonas que Lodygin defendeu com uma palmada para canto. Respondeu a formação russa com um desperdício de Dzyuba aos sete minutos. O avançado fugiu a Samaris e rematou de pé esquerdo, para fora, quando só tinha Ederson pela frente.

Num terreno tradicionalmente sempre complicado para o Benfica, a formação de Rui Vitória nunca se mostrou intimidado e procurou sempre marcar. Primeiro num remate de Jonas de fora da área, para defesa de Lodygin a dois tempos aos 13, e depois num "tiro" de Renato Sanches aos 20 que passou a centímetros do poste direito do guarda-redes russo.

Com necessidade de marcar para, pelo menos, empatar a eliminatória, o Zenit cresceu nos derradeiros minutos do primeiro tempo e ameaçou o golo em mais que uma ocasião. Aos 22 Ederson negou o golo a Dzyuba com uma grande defesa. Depois foi Hulk a ameaçar na marcação de um livre, desviado na barreira.

No segundo tempo o Zenit entrou mais forte, mais determinado, empurrando o Benfica para perto da sua área. André Villas-Boas apostou mais no ataque com as entradas de Smolnikov e Shatov para os lugares de Anyukov e Kokorin. Mexidas essas que deram mais força atacante, obrigando o Benfica a recuar ainda mais no terreno.

Aos 54 minutos Eliseu negou o golo do campeão russo, ao evitar que Dzyuba finalizasse um centro de Hulk. Aos 62 foi Smolnikov a falhar na cara de Ederson, atirando franco para as mãos do guarda-redes após centro de Hulk. E no minuto seguinte foi Dzyuba a tirar Samaris do caminho dentro da área mas a rematar para fora.
De tanto ameaçar que a formação de Villas-Boas chegou ao golo aos 70. Zhirkov ganhou, em falta, a Nelson Semedo e cruzou para Hulk desviar de cabeça e fazer o 1-0, o seu sétimo golo aos "encarnados". Rui Vitória bem protestou mas o árbitro, o húngaro Viktor Kassai, mandou seguir.

A resposta do Benfica só não deu em golo porque Lodygin voou mais alto e negou o tento a Lindelof aos 72 minutos. Respondeu Ederson do outro lado, com uma grande defesa após excelente trabalho de Dzyuba. O jogo estava dividido e qualquer equipa poderia marcar.

Rui Vitória, que já tinha colocado Jiménez e Salvio em campo, nos lugares de Mitroglou e Pizzi, vai colher frutos das mexidas aos 85 minutos. O mexicano pegou na bola de fora da área e "disparou" uma "bomba". Lodygin ainda conseguiu desviar para a barra mas, na recarga, Gaitán empurrou com a cabeça e empatou o jogo. Loucura no banco do Benfica mas também nas bancadas onde estavam alguns adeptos dos “encarnados”.

O Zenit "carregou" nos derradeiros minutos, na procura de marcar dois golos que o colocasse na frente da eliminatória mas já era tarde. O Benfica defendeu como pode e travou todas as tentativas dos russos. Já nos descontos, Talisca, de pé direito, fez o 2-1 e deu a vitória à formação da Luz.

Tal como em 2011/12, o Benfica volta a levar a melhor sobre o Zenit nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Na altura os "encarnados" venceram por 2-0 na Luz e perderam 3-2 fora.

O Benfica está assim nos quartos-de-final da Liga dos Campeões, o que acontece pela quarta vez, depois de 1995 (Milan), 2006 (Barcelona) e 2012 (Chelsea). Na próxima fase já estão também o Real Madrid e o Wolfsburgo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.