O árbitro Sebastian Coltescu foi suspenso pela UEFA até final da atual temporada, devido a “comportamento impróprio” no jogo Paris Saint-Germain-Basaksehir, da Liga dos Campeões de futebol, anunciou hoje o organismo, que afastou qualquer ação racista do romeno.

“Foi decidido suspender Sebastian Coltescu de exercer qualquer função de árbitro até final da época, ou seja, até 30 de junho de 2021, por comportamento impróprio durante um jogo da UEFA para o qual foi nomeado”, lê-se num comunicado do Comité de Ética e Disciplina da UEFA.

#NoToRacism: O que aconteceu no PSG-Basaksehir, as consequências e as reações
#NoToRacism: O que aconteceu no PSG-Basaksehir, as consequências e as reações
Ver artigo

No PSG-Basaksehir, em 08 de dezembro, da sexta ronda da fase de grupos da ‘Champions’, Coltescu exerceu as funções de quatro árbitro e foi acusado de um insulto racista ao treinador-adjunto da equipa turca, o camaronês Pierre Webó, situação que levou a interrupção do jogo, que só foi retomado no dia seguinte com nova equipa de arbitragem.

O incidente ocorreu quando o quarto árbitro, o romeno Sebastian Coltescu, deu sinal ao árbitro principal, o compatriota Ovidiu Hategan, para expulsar o treinador adjunto do Basaksehir Pierre Webó, tendo-se este queixado que Coltescu utilizou a expressão “negro”, recusando-se a sair do campo.

Após vários minutos, o 'staff' da equipa turca e os jogadores, seguidos pelos do PSG, decidiram abandonar o relvado, numa altura em que o jogo estava empatado 0-0 e o presidente do clube turco, Göksel Gümüsdag, disse que os jogadores só voltariam ao terreno de jogo se Coltescu não voltasse.

"Quem me conhece sabe que não sou racista", garantiu o quarto árbitro do PSG-Basaksehir
"Quem me conhece sabe que não sou racista", garantiu o quarto árbitro do PSG-Basaksehir
Ver artigo

“O negro está ali, vai lá ver quem é. O negro que está ali, não pode agir desta forma”, disse Coltescu ao árbitro principal, referindo-se a Pierre Webó, o antigo futebolista internacional camaronês e agora adjunto do Besaksehir, na partida que gerou a polémica. Webó insurgiu-se e posteriormente instalou-se a confusão.

Durante a suspensão, em que não poderá apitar tanto jogos nacionais como internacionais, o árbitro romeno terá que frequentar um “programa de educação” de 30 dias, assim como Octavian Sovre, o juiz principal, que ‘fugiu’ à suspensão, tendo levado apenas uma “reprimenda oficial” da UEFA.

As primeiras palavras de Webó, após sofrer racismo na Champions: "Foi difícil ouvir aquela palavra de um árbitro"
As primeiras palavras de Webó, após sofrer racismo na Champions: "Foi difícil ouvir aquela palavra de um árbitro"
Ver artigo

“Com esta decisão, o Comité de Ética e Disciplina considerou que ambos violaram o artigo 11 e o artigo 6, referentes ao comportamento apropriado dos árbitros durante uma partida, mas não violaram o artigo 14, referente a conduta racista ou discriminatória”, explicou o organismo.

Pierre Webó, que acabou expulso nesse jogo, foi suspenso por um jogo nas competições europeias.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.