O Chelsea venceu em Londres o Real Madrid por 2-0 e segue em frente para a final da Liga dos Campeões onde vai defrontar o Manchester City. Final terá lugar no dia 29 de maio em Istambul na Turquia.

Segunda mão em Londres. Final de Istanbul na mira, com o Chelsea com vantagem trazida da 1.ª mão depois de uma igualdade a uma bola em Espanha.

O primeiro tempo trouxe mais posse de bola para o Real Madrid, com Benzema como uma seta apontada à baliza do Real Madrid, mas foi o Chelsea a equipa mais letal. E no futebol quem vence é quem marca golos.

O primeiro sinal da partida foi dos blues à passagem do minuto 12´, numa bomba de Rudiger parada por Courtois. Dois minutos volvidos, e os ingleses viram um golo ser anulado. Chilwell assistiu para a finalização de Timo Werner, mas o dianteiro estava adiantado.

Veja o golo anulado

Respondeu o Real e por Benzema. Pontapé do francês para uma grande defesa de Mendy.

Na resposta, e na transição, momento do jogo em que o Chelsea é exímio, chegou mesmo golo. Lição de futebol dos ingleses, com Kanté a iniciar a jogada, a tabelar com Haverts que tentou o bonito sobre Cortois. A bola acabou por bater na trave e sobrou para a finalização de cabeça de Werner.

Veja o golo do Chelsea

Novamente Benzema tentou estabelecer o ponto de ordem com um grande cabeceamento parado pelo guarda-redes adversário.

Foi assim a sua história da primeira parte, com o Chelsea a controlar as incidências da partida e com o Real a tentar a espaços sair da monotonia.

Segunda parte em que Kanté abriu o livro

No segundo tempo, apesar de estar a apenas um golo de empatar a eliminatória, o Real Madrid esteve praticamente ausente da partida. Os merengues nunca conseguiram controlar os jogadores mais ofensivos da equipa de Thomas Tuchel e mostraram-se incapazes para ferir o conjunto madrileno.

Sem ideias, a equipa de Zidane tentava furar pela zona central, mas esbarrava nas muralhas Jorginho e N'Golo Kanté. Demasiado previsível, e frente a uma equipa que lhe dava a iniciativa, a equipa de Zidane não conseguiu sair da teia construída pelos londrinos.

A segunda parte foi mesmo praticamente um festival de desperdício para o conjunto inglês. No espaço de sete minutos, Haverts (remate à barra), Thiago Silva num cabeceamento e Werner depois de um passe de Mount falharam o que parecia certo.

E quando não estavam lá os postes, aparecia Courtois a tentar adiar o inevitável frente a um Real Madrid sem argumentos para desatar este nó e derrubar este Chelsea.

Mas com o Chelsea a não conseguir traduzir o domínio em eficácia, Mendy, na baliza, estava atento a qualquer eventualidade. Do lado do Chelsea, Havertz, aos 77´, esteve novamente perto do golo mas não conseguiu corresponder a um cruzamento de Pulisic.

Ao minuto 86´, o Chelsea marcou mesmo e acabou por confirmar toda a sua superioridade. Recuperação de Kanté - um monstro na noite de Londres, a bola chegou a Pulisic, assistência para Mount que confirmou o triunfo do Chelsea.

Veja o segundo golo do Chelsea

Passagem merecida do Chelsea que assim encontra o City de Guardiola na final de Instanbul. No conjunto das duas mãos não deixou quaisquer dúvidas sobre quem parecia passar a eliminatória. Réplica do FC Porto frente aos blues nos quartos de final sai ainda mais valorizada depois da exibição da equipa de Thomas Tuchel frente ao colosso Real Madrid.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.