O internacional português Cristiano Ronaldo está a escassos seis golos de se tornar o melhor marcador da história das taças europeias de futebol, iniciada há quase 60 anos, em 1955/56.

Depois do "bis" ao Sevilha (2-0), que valeu ao Real Madrid a conquista da Supertaça Europeia, o "capitão" da seleção lusa passou a contar 70 golos nas competições da UEFA, apenas menos seis do que o espanhol Raul Gonzalez.

A ultrapassagem ao antigo portador do "7" dos "merengues" parece uma formalidade, depois dos 17 tentos apontados na edição 2013/14 da Liga dos Campeões, o melhor registo de sempre na principal competição europeia de clubes.

O maior perigo para Cristiano Ronaldo, que segue empatado com o italiano Filippo Inzaghi, atual treinador do AC Milan, e soma mais um tento do que o alemão Gerd Müller, vem, porém, do quinto da tabela, o argentino Lionel Messi.

O futebolista do FC Barcelona, que disputou menos 21 encontros do que o detentor da Bola de Ouro (89 contra 110), soma 68 tentos, seguindo, no quinto lugar da tabela, a apenas dois golos do jogador português.

No que respeita em exclusivo à prova "rainha", Cristiano Ronaldo está isolado no segundo posto, com 68 golos, a apenas três do líder Raul e com mais um do que Messi, terceiro.

Em relação à Liga dos Campeões, prova criada em 1992/93 e que não contabiliza os tentos em pré-eliminatórias, o avançado luso "perde" um tento, ostentando 67, os mesmos de Messi, que mantém a contabilidade, tal como Raul.

Cristiano Ronaldo começou a sua carreira europeia no Sporting, pelo qual cumpriu três jogos em 2002/03, mas só se estreou a marcar pelo Manchester United, na terceira das seis épocas em que representou os "red devils".

Após ter ficado em branco em 2003/04 (cinco jogos) e 2004/05 (oito), marcou pela primeira vez em 2005/2006: a 9 de agosto de 2005, em Old Trafford, "faturou" face aos húngaros do Debreceni (3-0), na terceira pré-eliminatória.

O seu primeiro golo válido para as contas da "Champions" ocorreu apenas em 2006/2007, quando "bisou" na receção à AS Roma, numa histórica goleada por 7-1, na segunda mão dos quartos de final, a 10 de abril de 2007.

Na época seguinte, marcou, finalmente, na fase de grupos e, curiosamente, diante do "seu" Sporting, em Alvalade, num tento que valeu ao Manchester United um triunfo por 1-0, a 19 de setembro de 2007.

Cristiano Ronaldo acabou como o melhor marcador da edição 2007/08, com oito tentos, incluindo um na final, com o Chelsea, que os "red devils" venceram no desempate por grandes penalidades (6-5), depois de 1-1 nos 120 minutos.

Na época de despedida do Manchester United (2008/09), marcou mais quatro golos, terminando a sua trajetória europeia no clube inglês com 16 tentos, em 55 jogos.

A sua veia goleadora "nasceu" apenas no Real Madrid, pelo qual apresenta a espantosa média de mais do que um golo por jogo: 54 golos em 52 jogos europeus pelos madridistas, ao serviço dos quais está a cumprir a sexta temporada.

O jogador luso marcou sete golos na época de estreia (2009/10), seis na segunda (2010/11), 10 na terceira (2011/12), 12 na quarta (2012/13) e um "enorme" recorde de 17 na temporada transata, rumo ao seu segundo título europeu.

Nas duas últimas épocas, Cristiano Ronaldo foi o melhor marcador da prova - depois de quatro títulos consecutivos de Lionel Messi -, repetindo o "cetro" de 2007/08.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.