A polícia alemã deteve um homem, suspeito de estar ligado ao atentado contra o autocarro do Borussia Dortmund, ocorrido esta terça-feira. A polícia germânica avança a possibilidade de existir mais um suspeito de estar envolvido no caso. A Sky News diz que o indivíduo será islamita.


A polícia adiantou ainda que os engenhos explosivos que foram detonados junto ao autocarro tinham estilhaços de metal. O facto de existir este tipo de elemento aumentava o risco de feridos. A autoridade germânica acrescentou que um dos estilhaços ficou alojado no encosto de um dos bancos do autocarro.

A justiça alemã informou ainda que o ataque contra o autocarro do Borussia Dortmund está a ser investigado como um "atentado terrorista" com "motivações islâmicas", acrescentando que tem dois suspeitos e já deteve um deles.


As buscas da polícia germânica foram feitas durante esta quarta-feira e começaram depois de, ontem, ter havido três três detonações aquando da passagem do autocarro do Borussia Dortmund para o estádio onde iria defrontar o Mónaco, na primeira-mã dos quartos-de-final da Liga dos Campeões. O autocarro foi atingido mas apens um dos jogadores - Marc Bartra - ficou com ferimentos ligeiros e teve de ser levado para o hospital onde já foi operado ao pulso. Também um agente da polícia que seguia de moto junto ao autocarro sofreu ferimentos.


O ataque ao autocarro resultou no adiamento do encontro que estava marcado para terça-feira entre o Mónaco e o Dortmund. A partida da primeira-mão dos quartos-de-final foi remarcada para esta quarta-feira às 17h45.


O acontecimento teve eco um pouco por todo o mundo e foram vários os clubes se solidarizaram com o Borussia Dortmund. No Signal Iduna Park, foram os adeptos do emblema francês que deixaram um exemplo de fair-play ao cantarem o nome do adversário. Em contrapartida, foram recebidos em casas de adeptos do Borussia Dortmund para evitarem ficar na rua.


O Mónaco vai dar 80 euros a cada adepto que dormir em Dormund. O clube vai dar uma ajuda de custo a todos os que foram forçados a ficar na Alemanha.

* Artigo atualizado