Ambição é o que não falta a Hector Herrera. O médio mexicano acredita que o FC Porto pode inverter a desvantagem de 2-0 e eliminar o Liverpool nos quartos-de-final da Liga dos Campeões. Em entrevista ao jornal espanhol 'Marca, o médio vê os 'dragões' a ganharem a prova milionária da UEFA.

"É a segunda vez que estou nos quartos de final. É um jogo muito bonito, mas como jogador e como clube não nos queremos ficar pelos quartos, queremos chegar à final e ganhar uma Champions", sublinhou.

Na primeira-mão em Inglaterra, Herrera ficou de fora, por castigo, mas agora está pronto a ser opção para Sérgio Conceição. Em Anfield foi sofrer e muito.

"Como jogador, o pior que te pode acontecer é viver o jogo da bancada. Sentes-te mais nervoso, tens essa impotência de não poder ajudar a equipa. Anfield é um estádio muito bonito para jogar futebol, há um ambiente espetacular e é uma equipa candidata a ganhar a Champions. Nós somos uma equipa sonhadora com vontade de conquistar troféus, por isso gostaria de poder ter ajudado a minha equipa dentro de campo", confessou.

Além da Champins, o capitão do FC Porto tem outros sonhos. Diz que a equipa tem "muita confiança" que vai "conseguir atingir o principal objetivo, que é ganhar o campeonato", numa altura que os 'dragões' não dependem de si para vencer o troféu, apesar de ter os mesmos pontos do líder Benfica.

"É uma reta final bastante competitiva entre as duas equipas. Tudo dependerá da equipa que for mais madura, mais consistente e mais forte. É claro que a equipa que cometer um erro vai perder o campeonato", assegurou.

Na mesma entrevista ao jornal 'Marca', enumerou o melhor momento da carreira até agora no FC Porto: o título conquistado na época passada, o seu primeiro ao cabo de quatro anos no Dragão.

"Foi um ano inesquecível a nível pessoal, sinto-me muito contente e orgulhoso por ter conseguido conquistar o meu primeiro título, por ser capitão, por ter levantado a taça, foi algo incrível. Os momentos que vivemos na última época e os festejos que vimos nas ruas são coisas que não sei se voltarão a acontecer, foram momentos em que a cidade, os adeptos e nós próprios vamos levar connosco para sempre. Ter conseguido o campeonato depois de quatro anos sem conseguir um título e evitar o pentacampeonato do Benfica fez com que a cidade explodisse de alegria", recordou.

"Tive que estudar para fazer o exame [para adquirir a nacionalidade portuguesa] porque os temas que saem não fazem parte do meu dia a dia. A verdade é que acredito que me saí muito bem, em breve saberei os resultados. Fiz o exame porque estou muito grato a Portugal, os meus filhos sentem-se portugueses, o meu filho veio para cá com um ano. Quando me retirar do futebol, quero continuar a viver no Porto", terminou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.