Os jornais desportivos espanhóis de hoje destacam a pesada derrota sofrida quarta-feira pelo FC Barcelona com o Benfica, na Luz, por 3-0, para a segunda jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões em futebol.

“Isto é um pesadelo”, titula o catalão Sport, falando de “outra dolorosa derrota na Europa”, depois do 0-3 caseiro com o Bayern Munique, e adiantando que “o Barça caiu claramente em Lisboa e a sua qualificação para os oitavos de final corre perigo”.

Ainda de acordo com o mesmo jornal, o treinador holandês Ronald Koeman “está preso por um fio”, sendo que “ninguém no clube quis tomar uma decisão a quente” na noite de quarta-feira, preferindo “umas horas para refletir”.

Para o também catalão Mundo Deportivo, o FC Barcelona está “contra as cordas”, sendo que “outra dura derrota deixa Koeman muito tocado e a equipa perto da eliminação”.

Quanto aos diários desportivos da capital, a Marca ‘fala’ de um “sinistro total”, adiantando: “Benfica passa por cima de um Barça penoso”.

“A continuidade de Koeman está mais em dúvida que nunca”, escreve ainda o jornal madrileno, acrescentando que “a qualificação ‘blaugrana’ ficou muito complicada”.

Quanto ao As, também de Madrid, o título é “afundados”, numa primeira página em que se pode ler que “o Barça volta a colapsar em Lisboa”, em alusão aos 2-8 com o Bayern Munique, também na Luz, nos ‘quartos’ da edição 2019/20 da Liga dos Campeões.

O FC Barcelona sofreu quarta-feira na Luz a maior derrota de sempre frente a uma equipa portuguesa, ao 30.º jogo, sendo que as piores tinham acontecido face ao FC Porto, ambas por 3-1, na primeira ronda da Taça UEFA de 1972/73 e na segunda da Taça dos Campeões de 1985/86.

Em 20 de setembro de 1972, Flávio e Abel, por duas vezes, marcaram os golos dos ‘azuis e brancos’, e, em 06 de novembro de 1985, a grande figura portista foi o brasileiro Juary, com um ‘hat-trick’, ainda que insuficiente (3-1 após 0-2).

Quanto ao Benfica, só por uma vez tinha batido o FC Barcelona, na longínqua temporada de 1960/61, mais precisamente em Berna, na final da Taça dos Campeões: José Águas, Vergés, na própria baliza, e Coluna deram o primeiro título europeu aos ‘encarnados’, em 31 de maio de 1961.

Depois disso, os ‘encarnados’ tinham somado seis jogos sem vencer (três empates e três derrotas), com apenas um golo marcado, e em Nou Camp: na Luz, tinham somado dois ‘nulos’ (1991/92 e 2005/06) e um desaire por 2-0 (2012/13).

Com o triunfo por 3-0 sobre os catalães, o Benfica também conseguiu pela primeira vez terminar as duas primeiras jornadas de uma fase de grupos da ‘Champions’ sem golos sofridos, depois do ‘nulo’ no reduto do Dinamo Kiev.

*Artigo atualizado

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.