A pandemia de covid-19 obrigou à interrupção das provas europeias, com a UEFA a decidir organizar uma inédita ‘final a oito’, com eliminatórias a apenas uma mão, em Lisboa, entre 12 e 23 de agosto, com a final marcada para o Estádio da Luz.

Esta manhã realizou-se em Nyon o sorteio dos quartos de final, meias-finais e final da Liga dos Campeões, e, como é habitual nesta fase da competição, não há cabeças de série, nem qualquer impedimento de se defrontarem equipas do mesmo país.

Os dias de cada partida serão dados a conhecer pela UEFA nas próximas horas.

O resultado do sorteio

- Quartos-de-final

Real Madrid/Manchester City - Lyon/Juventus

Leipzig - Atlético de Madrid

Nápoles/Barcelona - Chelsea/Bayern

Atalanta - Paris Saint-Germain

- Meias-finais

Real Madrid/Manchester City - Lyon/Juventus vs Nápoles/Barcelona - Chelsea/Bayern

Leipzig - Atlético de Madrid vs Atalanta - Paris Saint-Germain

Os apurados

Até ao momento, já se apuraram para os ‘quartos’ Atalanta, Leipzig, Atlético de Madrid – que eliminou o campeão europeu em título, Liverpool – e Paris Saint-Germain.

Com a paragem da competição, ficaram por decidir quatro embates da segunda mão dos oitavos de final: Manchester City-Real Madrid (2-1, na primeira mão), Juventus-Lyon (0-1), Bayern de Munique-Chelsea (3-0) e FC Barcelona-Nápoles (1-1).

Recorde as últimas partidas da Liga dos Campeões antes da suspensão:

2.ª mão: Liverpool 2-3 Atlético de Madrid (LIV 2-4 ATL agregado)

2.ª mão: PSG 2-0 Dortmund (PSG 3-2 DOR agregado)

2.ª mão: Leipzig 3-0 Tottenham (LEI 4-0 TOT agregado)

2.ª mão: Valência 3-4 Atalanta (VAL 4-8 ATA agregado)

1.ª mão: Real Madrid 1-2 Manchester City

1.ª mão: Lyon 1-0 Juventus

1.ª mão: Chelsea 0-3 Bayern Munique

1.ª mão: Nápoles 1-1 Barcelona

Os jogos: Ronaldo pode voltar a encontrar o Real Madrid

O Atlético de Madrid, 'carrasco' do campeão europeu Liverpool, vai defrontar o Leipzig nos quartos de final da Liga dos Campeões de futebol. Num sorteio ainda condicionado por faltarem realizar quatro encontros da segunda mão dos oitavos de final, adiados pela pandemia de covid-19, apenas dois encontros dos 'quartos', disputados a apenas uma mão, ficaram definidos, entre os quais o dos 'colchoneros', de João Félix e finalistas em 2013/14 e 2015/16.

Pela frente, o Atlético de Madrid vai ter o Leipzig, estreante nesta fase da competição, que defrontou o Benfica na fase de grupos e que afastou nos oitavos de final o Tottenham, de José Mourinho e que tinha sido finalista em 2019.

Contudo, os alemães terão uma baixa de peso nos quartos de final, que se disputam de 12 a 15 de agosto, uma vez que já não vão contar com o avançado Timo Werner, transferido para o Chelsea.

O outro encontro já definido dos quartos de final vai colocar frente a frente a Atalanta, estreante na 'Champions', e o Paris Saint-Germain, crónico campeão francês, mas que não passa esta fase da competição desde 1994/95, tendo caído nos 'oitavos' nas últimas quatro temporadas.

Atual terceira classificada da Liga italiana, a Atalanta terá a vantagem de chegar com maior ritmo competitivo à partida com o Paris Saint-Germain, que não joga desde março, quando o campeonato francês foi cancelado, embora ainda dispute jogos da Taça de França e da Taça da Liga antes dos 'oitavos' da 'Champions'.

Certo é que haverá uma equipa que nunca foi campeã europeia na final do Estádio da Luz, uma vez que o vencedor do encontro entre o Atlético de Madrid e o Leipzig vai defrontar Paris Saint-Germain ou Atalanta.

O Real Madrid, recordista de triunfos na principal prova europeia, com 13 troféus, terá de reverter uma derrota caseira por 2-1 com o Manchester City, de João Cancelo e Bernardo Silva, para evitar a segunda eliminação consecutiva nos oitavos de final.

Sem qualquer presença na final da 'Champions', os 'citizens', que perderam o título de campeão inglês para o Liverpool, tentam a terceira presença consecutiva nos quartos de final.

Quem vencer este duelo em atraso dos 'oitavos', marcado para 07 ou 08 de agosto, vai defrontar a Juventus, de Cristiano Ronaldo, ou o Lyon, de Anthony Lopes, com os franceses a viajarem para Itália com uma vantagem de 1-0.

Duas vezes campeã europeia, a 'vecchia signora' tenta chegar pela terceira vez consecutiva aos quartos de final, enquanto o Lyon não passa desta fase há 10 temporadas.

Cristiano Ronaldo pode reencontrar o Real Madrid em Lisboa, onde, ao serviço dos 'merengues', venceu a Liga dos Campeões.

Com um 'pé e meio' nos quartos de final está o Bayern Munique, que venceu fora o Chelsea, por 3-0, numa temporada em que procura juntar uma sexta 'Champions' ao oitavo título consecutivo de campeão alemão e à Taça da Alemanha.

Nos quartos de final, caso confirmem o favoritismo, os bávaros poderão encontrar outro gigante europeu, o FC Barcelona, que recebe na segunda mão dos 'oitavos' o Nápoles, após uma igualdade a um golo em Itália.

Os catalães, de Nelson Semedo, não atingem uma final desde 2014/15, quando conquistaram o seu quinto e último troféu, e defrontam um Nápoles, de Mário Rui, que nunca passou dos 'oitavos', mas que ainda não perdeu na presente edição da competição.

À porta fechada

A 'final a oito' da Liga dos Campeões de futebol, que será disputada em Lisboa em agosto, vai ser disputada à porta fechada, anunciou a UEFA, que vai aplicar a medida também à Liga Europa.

Em comunicado, o organismo de cúpula do futebol europeu deu conta das decisões do Comité Executivo, hoje tomadas para o restante da temporada 2019/20, a ser disputada até agosto devido à pandemia de covid-19.

Outra das decisões prende-se com a realização nos estádios de cada clube dos restantes jogos da segunda mão dos oitavos de final da 'Champions' e da Liga Europa, e não em território neutro, como chegou a ser equacionado.

Há duas exceções a esta medida, já anunciadas em junho, nomeadamente o Inter de Milão-Getafe e o Sevilha-Roma, jogos em que não foi disputada sequer a primeira mão, e que agora serão 'resolvidos' num só jogo, na Alemanha, que vai receber a 'final a oito' da Liga Europa.

"A UEFA vai continuar a monitorizar a situação e reserva o direito de remarcar quaisquer jogos para os locais do torneio final [Lisboa ou Alemanha], no caso de surgirem novos acontecimentos que tornem a realização no estádio originalmente planeado impossível", pode ler-se no comunicado.

A nota detalha ainda o processo que levou à escolha de realizar os jogos à porta fechada, da proteção da saúde face à pandemia de covid-19 à "responsabilidade de providenciar o ambiente mais seguro possível" para garantir a conclusão das competições e a "justiça desportiva", num momento em que alguns países permitem viagens, e adeptos nos estádios, e outros não.

"O Comité Executivo considerou prudente que todos os jogos UEFA decorram à porta fechada até nova comunicação. A decisão foi tomada em concordância com associações nacionais e as autoridades das ?finais a oito', de Portugal, Alemanha e Espanha [este último da Liga dos Campeões feminina]. A restrição aplica-se, também, aos restantes jogos da Youth League", adianta a nota.

Outra decisão relativa à Liga Europa prende-se com o adiamento da introdução do sistema de vídeoárbitro (VAR), que arrancou na fase a eliminar de 2019/20, mantendo-se na de 2020/21, mas chegando à fase de grupos apenas em 2021/22.

A interdição dos estádios para adeptos mantém-se, igualmente, na fase de qualificação para as competições na época 2020/21, que serão disputados a apenas uma mão.

A UEFA aprovou ainda um protocolo relativo ao regresso ao futebol, e às normas sanitárias e de segurança que exige, que torna obrigatório que todos os clubes e federações cumpram com as regras delineadas no documento no caso de participarem em competições europeias, quer de clubes quer de seleções.

Uma inédita 'final a oito' está marcada para Lisboa, a partir de 12 de agosto, com as equipas a disputarem quartos de final, meias-finais e final na capital portuguesa, entre o Estádio José Alvalade e o Estádio da Luz, que recebe a final em 23 de agosto.

A ajuda da Federação

O presidente da UEFA, Aleksander Ceferin, disse no anúncio da Champions em Lisboa que "a Federação Portuguesa de Futebol foi a primeira a oferecer ajuda" para receber a fase final da Liga dos Campeões de futebol em agosto, numa ‘final a oito'.

A edição de 2019/20 da ‘Champions', que foi suspensa em março devido à pandemia de covid-19, vai ser reatada com os restantes quatro jogos dos oitavos de final, seguindo-se o desfecho inédito em campos neutros, nos Estádios da Luz e José Alvalade, em Lisboa, anunciou a UEFA e confirmou a Federação Portuguesa de Futebol (FPF).

Nessa altura, já vai ser conhecido o alinhamento dos ‘quartos', que serão disputados entre 12 e 15 de agosto, e das ‘meias’, em 18 e 19 de agosto, com a final marcada para 23, na Luz.

Antes, Porto e Guimarães poderão ainda receber os jogos restantes da segunda mão dos oitavos de final, caso estes não sejam jogados nos recintos dos clubes, em 07 e 08 de agosto.

Atlético de Madrid, Atalanta, Leipzig e Paris Saint-Germain já estão apurados, faltando encontrar vencedor em quatro confrontos dos ‘oitavos': Manchester City-Real Madrid, Juventus-Lyon, FC Barcelona-Nápoles e Bayern Munique-Chelsea.

Ceferin esclareceu ainda que a decisão de atribuir à Alemanha os jogos derradeiros da Liga Europa, e a Espanha a Liga dos Campeões feminina, igualmente no formato inédito de 'final a oito', não se deveu "a uma luta", mas antes ao facto de terem sido as três federações que "disseram estar prontas para organizar uma competição".

Com um protocolo médico que inclui testes a jogadores e equipas técnicas a ser finalizado "nas próximas semanas", Ceferin garantiu não existir nenhum "plano B" e que a UEFA avalia a evolução da pandemia de covid-19 "dia a dia".

"Estamos em contacto constante com a FPF, que está em contacto com as autoridades portuguesas. As coisas parecem bem por agora, e esperamos que tudo esteja bem até à organização da ‘final a oito'. Para já, não há razão para um plano B, mas estamos a avaliar a situação dia a dia, e adaptar-nos-emos se necessário", acrescentou o presidente do organismo de cúpula do futebol europeu.

O esloveno falava em conferência de imprensa após uma reunião do Comité Executivo da UEFA, no qual foram tomadas várias decisões quanto às restantes competições europeias, suspensas ou adiadas devido à pandemia de covid-19.

Caberá ao Comité Executivo discutir, ainda, sobre a viabilidade de estes jogos receberem adeptos nos estádios, algo que, se "fosse decidido agora", seria pela porta fechada, ainda que a situação esteja "sempre a mudar".

"Temos de ver como será em agosto. Nessa altura, em que arranca a ‘final a oito', terão passado quase dois meses desde hoje. Há dois meses, qual era a situação na Europa? Temos de esperar", atirou.

Mais tarde, quando questionado sobre se as equipas teriam de permanecer no país ou viajar entre jogos, o secretário-geral adjunto da UEFA, Giorgio Marchetti, confirmou que as mesmas "devem ficar no local", uma das razões pelas quais este formato foi escolhido para concluir a temporada 2019/20.

Como conclusão de uma inédita ‘final a oito', a final, que vai ditar o sucessor do já eliminado Liverpool como campeão da mais importante prova europeia de clubes, vai ser disputada pela terceira vez em Portugal.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.