Com o seu "póquer", Messi deu expressão à vitória do atual campeão europeu sobre o Arsenal, por 4-1, na segunda mão dos quartos-de-final da Liga dos Campeões, e empurrou os espanhóis para a sua 11.ª meia final, terceira consecutiva.

Messi, que passou a somar oito golos na presente edição e destronou o português Cristiano Ronaldo como melhor marcador, alcançou um feito que não acontecia desde Novembro de 2005, quando o ucraniano Andrei Shevchenko apontou os quatro tentos da vitória do AC Milan sobre o Fenerbahçe.

Além de Shevchenko, também o holandês Ruud van Nistelrooy (Manchester United-Sparta Praga, 4-1, em 2004), o croata Dado Prso (Mónaco-Corunha, 8-3, em 2003), o italiano Simone Inzaghi (Lazio-Marselha, 5-1, em 2000) e o também holandês Marco van Basten (AC Milan-IFK Gotemburo, 4-0, em 1992) marcaram quatro golos num só jogo, mas nenhum deles em fase da competição a eliminar, como Messi.

Antes do formato Liga dos Campeões, só o húngaro Ferenc Puskas conseguira um "póquer", em 1960, mas fê-lo numa final, em que o Real Madrid bateu o Eintracht de Frankfurt, por 7-3.

Com os quatro golos de hoje, Messi tornou-se o melhor marcador do FC Barcelona na "Champions", com 25 golos, mais dois do que o brasileiro Rivaldo. Nesta época, a "Pulga" argentina já leva 39 tentos em todas as competições.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.