O Tottenham, treinado por José Mourinho, esteve a perder por 2-0, mas conseguiu dar a volta ao resultado e vencer por 4-2. Ao treinador português perguntaram-lhe, em conferência de imprensa, que conversa teve com os jogadores no intervalo.

“Tive de ser uma versão suave de mim próprio, porque foi uma surpresa para mim. Pensei que a autoconfiança dos jogadores, a jogar em casa, com um mau resultado, a pensar no jogo do Bayern, pensei que precisavam de algum amor e não críticas, para lhes dar um pouco de equilíbrio emocional. Depois, tivemos uma pequena conversa sobre alguns detalhes técnicos, alguns ajustamentos de posição. Mas foi sobre a confiança para enfrentar uma situação difícil”, explicou Mourinho.

“Penso que, mais uma vez, isto não é sobre mim, é sobre a equipa. Eu só quero ajudar. Os adeptos ajudam, eu ajudo, o apanha-bolas ajuda. Os jogadores são os mais importantes. Gostei, porque foi daqueles jogos em que tive de jogar. Alguns jogos, jogamos antes dos jogos na forma como preparamos a equipa, o trabalho, o treino, e depois o jogo começa e a ação não é muito importante. E em outros jogos temos de jogar e eu tive de jogar. Exceto sentir-me mal relativamente ao Eric [Dier], correu tudo bem para mim. Esta foi a minha 80.ª vitória na Liga dos Campeões. Venha a 81.ª”, acrescentou.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.